Cenário nas UPAs de Porto Alegre ainda é de superlotação devido à Covid-19

Cenário nas UPAs de Porto Alegre ainda é de superlotação devido à Covid-19

Pessoas com enfermidades leves estão sendo encaminhadas para as suas unidades básicas de saúde de referência

Sidney de Jesus

Pessoas com enfermidades leves são orientadas a buscarem atendimento nas unidades próximas às suas residências

publicidade

O cenário nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Porto Alegre ainda é de superlotação devido ao agravamento da pandemia da Covid-19. Nesta segunda-feira, as pessoas com enfermidades leves que procuraram as PAs Bom Jesus, Lomba do Pinheiro e Cruzeiro do Sul, e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Moacyr Scliar, na Zona Norte, foram orientadas a buscarem atendimento nas unidades básicas próximas às suas residências. 

Foi assim com o desempregado Telmo Valtemir da Conceição, de 40 anos, morador do bairro Passo das Pedras, que levou o filho David da Conceição, de nove, na UPA Moacyr Scliar e não conseguiu atendimento. “Meu filho sofreu uma picada de um inseto. Trouxe ele  aqui  porque a perna apresentou inchaço e fiquei preocupado. Disseram para eu procurar uma unidade de saúde porque estão priorizando somente pacientes com a Covid-19”, reclamou. 

Conforme a assessoria de imprensa do GHC, que  responde pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Moacyr Scliar, o local segue com lotação acima da capacidade ideal e o atendimento é restrito somente para casos de maior risco, tanto para pacientes com a Covid-19 ou não. Segundo ainda a assessoria, a UPA registrou na manhã desta segunda-feira, 41 pacientes aguardando leito, sendo 10 para UTI. Os demais pacientes estão sendo orientados a buscar unidades básicas.

De acordo com o coordenador Municipal de Urgências da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Diego Fraga, a situação nas quatro Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital ainda é de superlotação dos serviços de emergência. Ele destacou que o Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul apresentou uma maior superlotação na manhã de hoje com 36 pacientes internados, sendo que seis aguardavam vagas na UTI e 22 um lugar para internação.

A UPA Lomba do Pinheiro também apresentou superlotação, com 21 internados, sendo quatro na espera por espaços na Unidade de Terapia Intensiva e 13 aguardando internação. “Mantemos a orientação de que primeiro a população procure o seu posto de saúde de referência para avaliação inicial. Casos graves permanecem sendo atendidos nos PAs, assim como pacientes encaminhados pelas Unidades de Saúde, que precisem de avaliação de urgência”, ressaltou o coordenador Municipal de Urgências da SMS, Diego Fraga, lembrando que a Central de Leitos está conseguindo regular os pacientes com mais agilidade para as UTIs e emergências hospitalares. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895