Cerimônia marca entrega de 135 matrículas de imóveis aos moradores do Cootrapoa
capa

Cerimônia marca entrega de 135 matrículas de imóveis aos moradores do Cootrapoa

Loteamento está situado no bairro Belém Velho, na zona Sul de Porto Alegre

Por
Correio do Povo

Loteamento está situado no bairro Belém Velho, na zona Sul de Porto Alegre

publicidade

Um evento festivo marcou na manhã deste domingo, a entrega pela Procuradoria-Geral do Município (PGM) de 135 matrículas de imóveis para os moradores do loteamento Cootrapoa, situado junto a estrada Antônio Borges, no bairro Belém Velho, na zona Sul de Porto Alegre. A cerimônia ocorreu sob um enorme toldo montado na rua das Adálias, com direito a show musical e comidas.

A procuradora-geral adjunta da PGM, Simone Somensi, explicou que se trata da finalização da etapa jurídica de um grande projeto de regularização fundiária. “Houve várias disputas judiciais em torno da posse e da própria cooperativa. Depois de uma série de tratativas, reuniões e acordos...foi possível finalizar a regularização fundiária com a entrega das matrículas e assim a obtenção do título de propriedade”, detalhou, acrescentando que existe ainda uma etapa posterior que são as obras no local, como arruamento e outras infraestruturas pendentes. “Para nós da PGM é um momento de extrema alegria”, salientou Simone Somensi. “Existem muitos processos parecidos em Porto Alegre. Trabalhamos com todas as áreas irregulares da cidade. Existem em torno de 300 loteamentos irregulares e clandestinos, além de cerca de 700 áreas ocupadas. O município tem programas e projetos nessa área visando a segurança jurídica da posse e título de propriedade. É uma política pública”, complementou a procuradora-geral adjunta da PGM, recordando que a porta de entrada é o Orçamento Participativo.

A regularização foi feita por meio do Provimento More Legal, da Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. “Os projetos de regularização fundiária estritamente são importantes e cumprem um papel constitucional”, frisou o coordenador de correição Sander Cassepp Fonseca, da Corregedoria-Geral do TJRS. “Isso produz paz social”, resumiu. Ele disse que os moradores receberam a legitimação fundiária. “Eles têm definitivamente a propriedade do imóvel e podem até mesmo depois buscar um financiamento para suas casas. Há anos eles tinham apenas a posse”, afirmou.

Presidente da Cooperativa Habitacional e Consumo dos Trabalhadores de Porto Alegre (Cootrapoa), Terezinha Dias Abreu, estava animada. “É um evento que estamos comemorando. A entrega das matrículas é um sonho que está se concretizando. É a regularização da área junto à prefeitura e cartório. Cada morador agora poderá ser realmente o dono de seu lote”, destacou. “Quando assumi a Cootrapoa em 2013 havia riscos: a cooperativa estava totalmente desorganizada, a área indo à leilão, muitas dívidas….Nesse período chamei os moradores em assembleia e coloquei toda a situação de problemas de gestões passadas. Todos se dispuseram a fazer um rateio e pagar as dívidas que passavam de R$ 1,5 milhão. Com todo esse povo nos organizamos e colocamos a cooperativa em dia. Hoje estamos comemorando”, ressaltou, lembrando que a entidade surgiu em agosto de 1996. “As famílias se uniram para salvar suas moradias. Todo mundo é unido. Aqui é tranquilo para morar”, concluiu.