Ciclistas protestam por prisão de motorista suspeito de perseguições

Ciclistas protestam por prisão de motorista suspeito de perseguições

Grupo se dirigiu ao Palácio da Polícia cobrando segurança

Christian Bueller

publicidade

Um grupo de ciclistas fez um ato por mais segurança, na noite desta sexta-feira, em Porto Alegre. Eles pedem a prisão do motorista de um Volkswagen Voyage, de cor branca, que perseguia e arremessava o veículo contra quem pedalavam entre o Parque Marinha do Brasil e a Orla Moacyr Scliar, na Capital. O suspeito já foi identificado pela polícia, mas não foi detido. A manifestação se concentrou no Largo da Epatur, com destino ao Palácio da Polícia.

“Nós, ciclistas, nos sentimos desprotegidos. Não vemos a coisa andar. Está há um mês nesse ‘prende e não prende’. Não é protesto. Só quero que nos protejam”, disse uma das organizadoras do ato, Rosângela Rodrigues. Apesar de não ser numeroso, o grupo estava bem articulado, de posse de cartazes com dizeres como “Chega de matar ciclistas” e “não ao descaso com o ciclista”. O veículo do suspeito, um homem de 44 anos de identidade não divulgada, foi apreendido na quarta-feira. Enquanto não acontecer a prisão, o medo continua, segundo Rosângela. “Nós não sabemos nem que carro ele está agora. No meu entender, ele vai ficar ainda mais brabo, com o veículo cassado”, revelou.

O diretor do Grupamento de Operações Especiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), delegado Marco Antônio Duarte de Souza, revelou que o pedido de prisão foi solicitado há mais de 30 dias. “Fizemos mais três pedidos suplicando urgência. Ainda aguardando. Desde dia 18 de agosto temos autoria elucidada e reconhecimento concretizado de vítimas”, frisou. Conforme o Tribunal de Justiça e Ministério Público, os delitos do suspeito não justificariam uma prisão.

O suspeito deverá ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895