Comércio comemora flexibilizações e já projeta Dia das Mães

Comércio comemora flexibilizações e já projeta Dia das Mães

Lojistas estão animados com novas medidas

Correio do Povo

Clientes retornaram às compras na manhã deste sábado

publicidade

O comércio de Porto Alegre comemora a volta dos clientes a partir da nova flexibilização das atividades neste período de pandemia e já se prepara inclusive para o Dia das Mães em maio. “A avaliação é extremamente positiva. Era uma reivindicação que a gente vinha fazendo, inclusive por entender que mais horários de funcionamento significam aumento de segurança e não redução. Quanto mais flexíveis os horários, menos aglomeração”, declarou no final da manhã deste sábado o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA), Irio Piva.

“O Dia das Mães é uma das datas mais importantes para o varejo depois do Natal e foi um dos motivos que temos lutado tanto. No ano passado, o comércio estava fechado no Dia da Mães”, afirmou o dirigente à reportagem do Correio do Povo.

“No aspecto econômico, o varejo não essencial é o que mais sofreu com as paralisações no ano passado e estava vivendo um momento muito difícil” acrescentou Irio Piva. “Isto representa uma melhoria e neste sentido é bem positiva”, acrescentou. Segundo o dirigente, o comércio não essencial, como por exemplo lojas de vestuário, calçados, utilidades domésticas, bazar e restaurantes, estava fechado até então nos sábados e domingos.

Sobre o movimento na manhã deste sábado, o presidente da CDL POA considerou “bem razoável”. Aos poucos, os clientes estão retornando às lojas. “A expectativa é bem positiva”, resumiu. Ele lembrou até que o único dia em que muitas pessoas têm livre para as compras é o fim de semana. “É muito importante ter esta possibilidade”, frisou.

Na opinião dele, o comércio conseguiu retomar cerca de 60% do movimento que existia na pré pandemia. “Faltam 40%”, complementou. Irio Piva enfatizou também que o comércio não é o vilão da contaminação pelo novo coronavírus, sendo obedecidos todos os protocolos sanitários contra a Covid-19. “A gente cuida dos funcionários e dos clientes”, sintetizou. “Esperamos que a flexibilização tenha vindo para ficar”, concluiu.

MERCADO PÚBLICO 

Quem também se beneficiou com a flexibilização foi o Mercado Público de Porto Alegre. A presidente da Associação do Comércio do Mercado Público Central (Ascomepc), Adriana Kauer, explicou que os restaurantes puderam reabrir as portas e receber a clientela na manhã deste sábado. “Eram os únicos que estavam sofrendo uma penalidade maior”, disse.

Adriana Kauer observou ainda que a reabertura dos restaurantes no Mercado Público fará “uma diferença bastante grande”. Conforme a presidente da Ascomepc, as pessoas realizam as compras e aproveitam para ir nos restaurantes ou a situação inversa.

Ela recordou inclusive que as pessoas que procuram o comércio em geral na área central da Capital acabam frequentando igualmente o Mercado Público. “É uma das umas coisas que a gente percebe”, destacou. Por fim, Adriana Kauer constatou que os clientes do Mercado Público já aparecem com as listas de compras prontas, com o objetivo de agilizarem o processo.

FEIRA ECOLÓGICA

Para a tradicional Feira dos Agricultores Ecologistas, voltada sobretudo aos alimentos orgânicos, a flexibilização permitiu que três bancas pudessem reabrir no local. Tratam-se de expositores de sabão artesanal, utensílio de bambu e de sacola de palha. “Antes era só de alimentos”, relatou Camila Torres Brum, responsável pelo setor de comunicação da Feira dos Agricultores Ecologistas, que ocorre nas manhãs de sábado na avenida José Bonifácio, ao lado da Redenção. “A gente continua com os mesmos cuidados”, assinalou, referindo-se aos protocolos sanitários contra a Covid-19, como restrição de pessoas, uso de máscara, distanciamento entre bancas e álcool gel. Na manhã deste sábado, o local permanecia movimentado.

Veja Também

DECRETO

O novo decreto do governo do Estado, firmado após discussão com a Prefeitura de Porto Alegre, determina que o comércio não essencial e o setor gastronômico podem abrir aos finais de semana e têm o horário de funcionamento ampliado a partir deste sábado na Capital. Academias e esportes individuais e em duplas também tiveram alterações. No documento também constam reforço nos protocolos sanitários e na fiscalização.

Supermercados, farmácias e serviços essenciais – Permitido todos os dias. Pode receber clientes presencialmente sem restrições de horário, desde que com restrições de distanciamento.

Comércio não essencial – Permitido todos os dias: das 5h às 20h. Pode receber clientes presencialmente com restrições. Das 20h às 5h, somente delivery.

Restaurantes, lanchonetes, bares, sorveterias – Permitido somente para refeições. Proibido happy hour. De segunda a sexta-feira, das 5h às 22h, pode receber clientes presencialmente, com restrições. Ingresso até as 22h e saída até às 23h. Das 22h às 5h, somente delivery.

Sábado, domingo e feriado: das 5h às 15h, pode receber clientes presencialmente, com restrições. Ingresso no estabelecimento até às 15h e saída até às 16h. Das 15h às 20h, atendimento pode ser feito por delivery e pegue e leve. Das 20h às 5h, somente delivery.

Feira livre de comércio não essencial - Autorizado comércio de produtos não essenciais, como artesanato, em feiras livres, com distanciamento de 3 metros entre barracas, controle de acesso e de fluxo de acesso às bancas.

Esportes individuais ou em dupla - Autorizados os jogos de no máximo quatro pessoas, sem contato, sem público, com agendamento prévio e intervalo mínimo de 15 minutos entre os jogos para higienização.

Academias – Permitido todos os dias das 5h às 22h. Limite máximo de uma pessoa para 16 metros quadrados.

Transporte Coletivo – Limite de passageiros transportados em cada veículo será o número de assentos e até 10 passageiros em pé em ônibus comuns e 15 em ônibus articulados.

Fiscalização - Para realizar este trabalho, a Capital conta com 510 servidores (guardas municipais e guardas parques) e 657 agentes de fiscalização, além do apoio da Brigada Militar. A orientação da prefeitura é que o trabalho seja focado em ações educativas nas fiscalizações, orientações sobre a legislação sanitária e aos protocolos do distanciamento controlado.

O Escritório de Fiscalização é o responsável pela coordenação das ações de forma integrada e também atende as denúncias recebidas via Sistema Fala POA 156. Os telefones 156, 153 e o aplicativo #EuFaçoPOA são os canais permanentes para o recebimento de denúncias referentes a descumprimento de protocolos do distanciamento controlado. 

Foto: Mauro Schaefer


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895