Comércio de Porto Alegre tem movimento fraco e lojas fechadas antes do feriado

Comércio de Porto Alegre tem movimento fraco e lojas fechadas antes do feriado

Lojistas que abriram seus estabelecimentos ficaram decepcionados com o baixo número de clientes

Cláudio Isaías

Para a CDL-POA, retomada será bastante lenta

publicidade

O movimento no comércio de rua, centros comerciais e shoppings foi fraco na manhã deste domingo em Porto Alegre. Na avenida Borges de Medeiros e nas ruas Voluntários da Pátria, Andradas e Doutor Flores, no Centro Histórico, as lojas não abriram. Quem optou pela abertura, como POA Fashion, Brinkare e Casas Maria, na rua dos Andradas, ficou decepcionado com a ausência dos clientes. Em uma loja da Andradas, um funcionário que pediu para se não identificar, afirmou que o feriadão do Dia das Crianças, comemorado nesta segunda-feira, contribuiu para a ausência do público.

As grandes redes como Marisa, Americanas, C&A, Renner, Paquetá, Gaston, Colombo e Magazine Luiza não abriram as portas. Esses locais concentram a maioria das grandes lojas de departamentos, roupas, calçados e eletrodomésticos, além de bazares. Nos estabelecimentos abertos, o funcionamento do comércio segue até 17h. O número de funcionários ficou limitado a 25% do total do estabelecimento e na entrada das lojas os funcionários observavam o uso da máscara e informavam sobre os locais com álcool em gel.

O movimento de clientes nos shoppings Rua da Praia, Total, Praia de Belas, João Pessoa, Iguatemi e BarraShoppingSul também foi tranquilo. Na chegada, às 12h, horário determinado para abertura, o público era informado pela segurança do uso da máscara e de que tinham que verificar a temperatura. Além disso, os consumidores eram orientados a utilizar o álcool em gel.

Os shoppings informaram que foram adotados todos os protocolos de cuidado, proteção e segurança, como o controle da temperatura corporal para acesso e o uso obrigatório de máscara facial durante toda a permanência no empreendimento. O decreto municipal 20.752 ampliou os dias de funcionamento do comércio de Porto Alegre, permitindo a abertura das lojas também aos domingos. Agora, os estabelecimentos comerciais estão autorizados a funcionar de segunda-feira a domingo. Lojas de rua e centros comerciais, das 9h às 17h. Já as lojas de shopping, atendem o público das 12 às 20h.

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL/RS), Vitor Augusto Koch, afirmou que é importante a possibilidade do comércio poder voltar a trabalhar no domingo em Porto Alegre. "Dá um alento aos lojistas, que sofreram muito com as restrições impostas desde março. Esperamos que isso represente boas vendas e crie a perspectiva de um final de ano com resultados mais positivos para o varejo", ressaltou.

Já a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL-POA) acredita em uma recuperação mais rápida do varejo com a abertura aos domingos. Segundo o presidente da entidade, Irio Piva, a retomada econômica das atividades comerciais em Porto Alegre está ascendente, mas ainda bastante lenta. "Isso porque, na nova fase de recomeço, ainda há diferenças significativas nos avanços, variando de acordo com cada tipo de setor. Alguns já trabalham de maneira bem efetiva, como é o caso dos materiais de construção, por outro lado, os shoppings, especialmente lojas de roupas e calçados, ainda estão sofrendo", destacou.    

Conforme a entidade, a abertura aos domingos, especificamente, é muito boa para ajudar a área de vestuário que está trabalhando com cerca de 60% da sua normalidade, ou seja, com uma queda em torno de 40% em relação ao mesmo período do ano passado. “Mas é importante frisar que se trata de uma fase de melhoria, sendo cada semana melhor do que a anterior”, comentou Piva.

Sobre as expectativas de vendas para as festas de fim de ano, a CDL POA espera que o comércio chegue até dezembro com números próximos aos do ano anterior. “É necessária a compreensão de que este ano deixará rastros devido à queda na economia e no PIB. No ano passado, havia um processo de aquecimento econômico, porém este ano será mais difícil atingir os mesmos patamares em alguns segmentos”, acrescentou.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895