Comércio e restaurantes tem baixo movimento apesar do Dia das Crianças em Porto Alegre

Comércio e restaurantes tem baixo movimento apesar do Dia das Crianças em Porto Alegre

Entidades projetam resultado positivo nas vendas até o feriado

Cláudio Isaías

Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL/POA) informou que todos os protocolos sanitários foram cumpridos pelos lojistas

publicidade

O comércio no Centro Histórico de Porto Alegre apresentou um movimento tranquilo nesta terça-feira, feriado de Nossa Senhora Aparecida. Poucas lojas abriram nas ruas dos Andradas e na Voluntários da Pátria. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL/POA) informou que todos os protocolos sanitários foram cumpridos. A dona de casa Tânia Fagundes, que estava acompanhada das filhas Solange e Sandra, disse que ficou surpresa com pouca movimentação no comércio do Centro Histórico. "Vamos aproveitar essa tranquilidade e conferir as promoções das lojas", ressaltou.

Um levantamento da CDL POA mostrou que as pessoas pretendiam gastar acima de R$ 150,00 para presentear a criançada. No horário do almoço, os estabelecimentos localizados na rua dos Andradas, no Mercado Público e no Chalé da Praça XV apresentaram um movimento tranquilo. Dentro dos estabelecimentos não havia aglomeração e os clientes mantiveram um distanciamento social para realizar as refeições.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Rio Grande do Sul (Abrasel no RS) realizou uma pesquisa que mostrou que cerca de 80% dos estabelecimentos demitiram funcionários durante a pandemia da Covid-19, sendo que metade daqueles que não tiveram cortes na equipe ainda, pretendiam fazer para tentar equilibrar as contas. O endividamento das empresas atinge 85,7% e causa reflexos aos cofres públicos com dois terços deixando de pagar impostos. A pesquisa mostrou que 56,8% dos estabelecimentos podem fechar as portas em definitivo nos próximos 60 dias e que 83,8% dos bares e restaurantes trabalham à noite, sendo que 26,9% funcionam apenas no período noturno. 

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL/RS), Vitor Augusto Koch, projeta um resultado bastante positivo para as vendas do Dia das Crianças. Koch disse que existe um fator emocional que envolve a data, com os pais querendo agradar a criançada. "Felizmente temos observado um cenário de lenta e gradual recuperação da economia. Como o segundo semestre costumeiramente apresenta indicadores de vendas mais positivos, esperamos que o Dia das Crianças de 2021 seja bastante superior ao de 2020", ressaltou. 

A expectativa da entidade é que a população faça um gasto com os presentes das crianças na ordem de R$175,00. Os brinquedos devem liderar a preferência dos consumidores que buscam presentear o público infantil de 5 a 12 anos, com destaque para artigos como bonecas, carros articulados, brinquedos de montar e os tradicionais jogos. Para os adolescentes, a intenção de compra maior recaiu nos produtos da área tecnológica, como smartphones e drones, além de artigos de informática e vestuário.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895