Com 156 soldados, Bombeiros formam primeiras turmas após desvinculação da Brigada Militar
capa

Com 156 soldados, Bombeiros formam primeiras turmas após desvinculação da Brigada Militar

Grupo de homens e mulheres participaram de cerimônia no Ginásio do Gigantinho e ressaltaram desejo de servir à sociedade

Por
Franceli Stefani

A lotação de cada um dos soldados formados nesta terça-feira deverá acontecer nos próximos dias

publicidade

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) formou 156 novos soldados, na tarde desta terça-feira, no Ginásio do Gigantinho, em Porto Alegre. Em frente à plateia composta por autoridades, pais, demais familiares e amigos, os formandos desfilaram, fizeram o juramento e receberam o tradicional banho de mangueira. As cinco turmas iniciaram suas 1.368 horas/aula em 22 de fevereiro, nas cidades de Santa Cruz do Sul, Bento Gonçalves e na Escola de Bombeiros (EsBo). Durante os meses que se passaram, eles tiveram disciplinas de busca terrestre e aquática, técnicas de combate a incêndio, suporte básico da vida, segurança e prevenção de incêndios, proteção e defesa civil, entre outras áreas de conhecimento.

Oriundos dos mais distintos lugares do Rio Grande do Sul, houve também aqueles que vieram de fora para realizar um sonho: ser bombeiro e poder ajudar o outro. Foi o caso do orador da turma, Mateus de Souza Rodrigues, 27 anos. Em frente ao comandante-geral do CBMRS, coronel César Eduardo Bonfanti, e ao governador em exercício, delegado Ranolfo Vieira Júnior, – também paraninfo da turma –, el falou da importância do momento e da responsabilidade que cada um dos 156 colegas terão pela frente. "Ser um bombeiro militar não é tarefa das mais fáceis, não é para qualquer um. Mas é para você, que hoje está aí embaixo, é para nós que sabemos que em nossa linda profissão precisamos de união, de força, de garra. Porque se cairmos, teremos a certeza de que haverá grandiosos homens a nos ombrear, para nos levantar e, certamente, vencer os desafios".

O soldado deixou a mãe, o pai e o irmão em Brasília para trabalhar no Rio Grande do Sul. “Fui convidado por alguns colegas para vir prestar o concurso, alguns desistiram, mas eu vim fazer”, contou. Muito apegado à família, depois de passar por todas as etapas, foi aprovado, decidiu dar um novo rumo à vida e fez o curso na EsBo. Para orgulho do pai ,Carlos Rodrigues, 59 anos, e da mãe, Marisa Cristina de Souza Rodrigues, 50, vestiu a farda azul e, oficialmente, assumiu o seu posto na instituição.

"Eu ligo para eles todos os dias, vieram pela primeira vez ao Estado para a formatura”, disse. Durante o curso, Mateus relembra que contou com apoio dos colegas de pelotão e também dos oficiais para que pudesse viajar a Brasília. “Tive um acolhimento muito grande do Rio Grande do Sul, tanto que ganhei a passagem do pelotão para visitar os meus pais. Todos me abraçaram como se fosse uma verdadeira família”, recordou.

Ele ainda não sabe onde vai servir – descobrirá na segunda-feira a cidade e o quartel em que dará os primeiros passos na carreira. A mãe afirmou que independente do local, por mais remoto que seja, apoiará o filho na decisão. “Eu morro de saudade dele, porque sempre foi muito próximo e apegado, não pensei que fosse ficar longe da gente”, exclama. Orgulhosa, ela ficou emocionada ao ver o filho vestir a farda azul e ser o escolhido para falar em nome de tantos outros homens e mulheres. “É um orgulho muito grande, uma emoção sem tamanho.”

Sonho construído

Marisa Cristina revela que não é desde pequeno que Mateus sonha em ser bombeiro. Ao contrário, o amor e o respeito pela profissão foi chegando aos poucos. “Eu fiquei surpresa, porque ele não dizia quando era criança que tinha esse sonho, estranhei que depois de adulto falou sobre isso”, relembra. Ela diz que o maior desejo é que ele encontre felicidade no que faz. “Quando ele falou da vontade eu disse 'meu filho, corre atrás'. Foi o que fez. Veio para Porto Alegre, fez as provas de cada uma das etapas e conseguiu. Eu quero, acima de tudo, que ele seja feliz".

O soldado reforça a história narrada pela mãe, tanto que, quando conversa com os demais colegas, faz questão de dizer que foi um desejo que demorou para aparecer. “É uma profissão sensacional, que eu faria o resto da vida sem ser um trabalho. É um estilo de vida, uma forma de viver, em que eu consigo ajudar o outro com meu trabalho, é uma realização", comentou, entusiasmado com o que está por vir.

Formatura especial

Depois da desvinculação da Brigada Militar, a turma desta terça-feira foi a primeira na atual gestão. O fato foi mencionado pelo porta-voz do grupo, o soldado Mateus. Ele falou dos primeiros soldados bombeiros, os quais classificou como militares diferenciados, com valores, conhecimentos, e fisicamente preparados para cumprir qualquer missão que a sociedade exija. “Asseguro, superaremos as expectativas depositadas sobre nós, buscaremos o melhor preparo em direção à excelência, a fim de perpetuar e elevarmos a imagem desta instituição a qual amávamos antes de entrar, e que, agora, faz parte da nossa alma”.

O paraninfo da turma, Ranolfo agradeceu o reconhecimento. “A missão de governar o Estado é árdua e difícil, mas em um momento dessa natureza, essa escolha nos inspira a seguirmos firme”, declarou, transmitindo aos formandos o abraço, o respeito e os cumprimentos do governador Eduardo Leite, em missão fora do país. Ele lembrou que o grupo ingressa, agora, em uma atividade diferente de qualquer outra, na qual colocam em risco a própria vida para cumprir o dever de bombeiro militar. “Desejo êxito, sucesso, e que voltem aos seus lares ao fim de cada missão”.

O comandante-geral do CBMRS, coronel César Eduardo Bonfanti, parabenizou a turma. “São homens e mulheres que nutriram o sonho de ingressar nas fileiras da instituição com maior credibilidade do país”, destacou. Agora, eles se juntam a 3.181 bombeiros militares que, desde 2017, escrevem a nova história da corporação. Os novos soldados passam a integrar as diversas unidades do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, representando aumento de um efetivo mais qualificado e consciente das responsabilidades de prestar um serviço cada vez melhor à comunidade.

Atualmente o CBM está presente em 93 municípios e atende diretamente 76% da população gaúcha. Também compareceram à solenidade o secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian; chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Júlio César Rocha, a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, e o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Mario Ikeda. O evento ainda contou com homenagens para autoridades e também para o primeiro colocado do curso, o soldado Gabriel Pereira Nunes, que alcançou média final de 9.606.