Com custo reduzido, capina de praças cresce em Porto Alegre
capa

Com custo reduzido, capina de praças cresce em Porto Alegre

Desde o início de 2020, prefeitura passou a pagar por produtividade

Por
Correio do Povo

Custo do corte de grama, capina e limpeza de praças em Porto Alegre reduziu em 60%

publicidade

De 2017 para 2020, o custo do corte de grama, capina e limpeza de praças em Porto Alegre reduziu em 60%. Se antes, cada metro quadrado custava aos cofres públicos uma média de R$ 0,42, hoje, esse valor está estipulado em R$ 0,17 fixo devido à mudança na forma de contratação feita pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) e pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU). Desde o início do ano, o pagamento é por produtividade e não mais por disponibilização de mão-de-obra. Com a modificação, conforme o Executivo, o corte de grama das praças cresceu 186% - quase o triplo, comparando os meses de janeiro dos últimos três anos.

Tendo janeiro como referência, mês em que a grama cresce mais rápido, foram 197 praças atendidas em 2017; 232, em 2018; 320, em 2019; e 564, em 2020. Com relação às solicitações destes serviços através do Sistema Fala Porto Alegre - 156, houve uma redução gradual neste mesmo período. Em janeiro de 2017, foram 556 demandas. Em 2020, foram 110, representando queda de 80% nas reclamações.

"Ampliamos os serviços e reduzimos o custo do metro quadrado, devido à remuneração por produtividade. Também ampliamos o controle e a fiscalização sob o contrato para pagarmos por aquilo que efetivamente está sendo entregue aos porto-alegrenses”, afirma o secretário Ramiro Rosário. Conforme o titular da pasta, para fevereiro está programado o atendimento de 634 praças (443 hectares), ou seja, 100% dos espaços da cidade. Se o clima ajudar, o aumento será de 107% da área em comparação com o mesmo mês de 2019, quando se roçou 326 praças (214 hectares).

Confira o custo médio pago por m² em praça:
2017: R$ 0,42
2018: R$ 0,38
2019: R$ 0,34
2020: R$ 0,17

Nova contratação

Iniciado em janeiro de 2020, o registro de preços para capina, roçada e limpeza de vias e de praças é o primeiro realizado pela prefeitura neste setor e o de maior investimento, com a aplicação de R$ 40,4 milhões ao longo deste ano. Com pagamento por produtividade, que permite uso de tecnologias para aumento da produção, este contrato traz ainda mais inovações, como em outros contratos já firmados pela SMSUrb desde 2017: GPS nas equipes; ponto biométrico; e fotos do antes e depois dos serviços. Para 2020, a previsão dos serviços nas praças é de 4.500 hectares, quase 400 hectares a mais em relação ao período anterior a 2017, e reforço da programação sazonal, com retorno do atendimento em 30 dias, nos meses de calor, e 60 dias nos meses frios.