Com deságio de 1,30%, Consórcio Integrasul vence leilão para concessão de rodovias gaúchas

Com deságio de 1,30%, Consórcio Integrasul vence leilão para concessão de rodovias gaúchas

Consórcio ficará responsável por 271,5 quilômetros de estradas estaduais

Felipe Samuel

Consórcio ficará responsável por 271,5 quilômetros de estradas estaduais

publicidade

O Consórcio Integrasul venceu nesta quarta-feira o leilão para concessão de rodovias gaúchas que integram o Bloco 3 do programa RS Parcerias. Durante o leilão, realizado na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo, foi aberta a proposta do consórcio, que ficará responsável por 271,5 quilômetros de rodovias estaduais. O valor de deságio fico em 1,30%.

O edital contempla investimentos de R$ 3,4 bilhões e o projeto prevê execução de obras e exploração dos serviços de operação, conservação, manutenção, melhoramentos e ampliação da capacidade da infraestrutura de transportes. Serão 116,4 quilômetros de duplicações e 59,96 quilômetros de terceiras faixas. A concessão terá prazo de 30 anos.

O governador Ranolfo Vieira afirmou que o 'grande impulsionador dessa agenda' de concessão das rodovias à iniciativa privada foi o ex-governador Eduardo Leite. Ele lembrou que desses 271,5 quilômetros de rodovias concedidos à iniciativa privada, somente 23% são duplicados. "Um exemplo concreto é que nesse bloco concedido hoje envolve a ERS 122, entre São Vendelino e Farroupilha, um trecho da estrada conhecido como a 'curva da morte'", ressaltou.

Com projeção de melhorias, o governador salientou que o Estado avança na questão da segurança viária. "Estaremos poupando vidas no trânsito gaúcho", sustentou. O diretor técnico da Silva e Bertoli, Ricardo Perez, lembrou que essa foi a terceira tentativa de vencer um leilão para administrar rodovias gaúchas. "Temos capacidade, vontade, e estamos felizes por conseguir nosso primeiro ativo. Estamos ansiosos para colocar a mão na massa e fazer a concessão acontecer", afirmou.

Na avaliação do secretário extraordinário de Parcerias do RS, Leonardo Busatto, o RS 'anseia' por investimentos em estruturas rodoviárias. Busatto afirmou que o projeto foi bem-sucedido e é viável. "É uma parceria grande e que vai dar frutos para o Poder Público, para a empresa e aos usuários da rodovia", destacou. Além da instalação de praças de pedágios apenas após o primeiro ano de assunção das rodovias pelo consórcio, Busatto explicou que somente a partir do terceiro ano de concessão deverão ser realizadas grandes obras.

"No primeiro ano vão ser realizados trabalhos iniciais, obrigatórios, como repavimentação asfáltica", observa. "Não haverá duplicação nem obra de arte no primeiro ano", completa. O segundo ano de concessão servirá para fazer estudos e projetos. Conforme Busatto, as primeiras obras que devem sair do papel são referentes à duplicação de trechos entre São Vendelino e Farroupilha e Bento Gonçalves e Farroupilha. "São os trechos mais críticos em termos de tráfego e para o escoamento de produção", avaliou.

De acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o consórcio deu uma garantia de proposta de R$ 34 milhões, sob custodia da B3 até assinatura do contrato. Esse valor deve ser integralização com mais R$ 230 milhões de capital.

As rodovias que vão receber investimentos são:

ERS-122 (km 0,00 ao km 168,65);
ERS-240 (km 0,00 ao km 33,58);
RSC287 (km 0,00 ao km 21,49);
ERS-446 (km 0,00 ao km 14,84);
RSC-453 (km 101,43 ao km 121,41);
BRS-470 (km 220,50 ao km 233,50) - caso atendida a condição suspensiva prevista pelo contrato.

Praças de pedágio

Localização prevista das praças de pedágio:
Praças/Rodovias/km
São Sebastião do Caí, ERS-122, km 4
Flores da Cunha (existente), ERS-122, km 103
Ipê, ERS-122, km 152
Capela de Santana, ERS-240, km 30
Farroupilha, ERS-122, km 45
Carlos Barbosa, ERS-446, km 6

Valores de pedágio

Valores máximos previstos para cada praça de pedágio:
São Sebastião do Caí – R$ 9,83
Flores da Cunha (existente) – R$ 6,85
Ipê – R$ 6,89
Capela de Santana – R$ 7,19
Farroupilha – R$ 8,50
Carlos Barbosa – R$ 7,85


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895