Comando do Sul comemora aniversário de criação do Exército brasileiro

Comando do Sul comemora aniversário de criação do Exército brasileiro

Ordem do Dia destacou a missão da corporação e os "altos índices de credibilidade institucional"

Cláudio Isaías

Desfile contou com a presença de guarnições militares de Porto Alegre, de São Leopoldo e de Sapucaia do Sul

publicidade

Com a presença de mais de mil militares, o Comando Militar do Sul (CMS) comemorou nesta quarta-feira os 371 anos de criação do Exército brasileiro. A solenidade, que marcou o aniversário da 1ª Batalha de Guararapes, criado em Pernambuco, em 19 de abril de 1648, quando os holandeses foram expulsos do Nordeste brasileiro, foi realizada no 3º Regimento de Cavalaria de Guarda (3º RCG), na avenida Bento Gonçalves, na zona Leste de Porto Alegre.

O desfile contou com a presença de guarnições militares de Porto Alegre, de São Leopoldo e de Sapucaia do Sul. No seu discurso, o comandante do CMS, general de Exército Geraldo Antônio Miotto, disse que a missão do Exército brasileiro é a defesa da pátria e a de garantir a ordem e o cumprimento da lei no país. Durante a solenidade, Miotto entregou as medalhas da Ordem do Mérito Militar, Medalha Exército brasileiro e diplomas de colaboradores emérito da instituição para personalidades civis e militares.

O desfile teve representações de grupamentos a pé, motorizados e blindados. A solenidade militar contou com as presenças de ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB) e do Batalhão de Suez, integrantes da Marinha do Brasil, da Força Aérea Brasileira (FAB), do comandante da Brigada Militar, coronel Mario Ikeda, do presidente do Tribunal de Justiça Militar, coronel Paulo Roberto Mendes, e do subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Institucionais do Ministério Público, Marcelo Lemos Dornelles.

Na abertura da cerimônia, o general de Exército Geraldo Antônio Miotto, comandante do CMS, realizou a leitura da Ordem do Dia "Braço Forte, Mão Amiga!" assinada pelo General de Exército Edson Leal Pujol, comandante do Exército. O documento destaca que é "fundamentado nessas duas simples expressões, que o Exército Brasileiro, ao longo dos seus 371 anos de existência, tem buscado pautar suas ações para defender a nação e garantir os poderes legalmente constituídos em nossa Carta Magna e o império da lei e da ordem".

"O Braço Forte, ao derrotar, no dia 19 de abril de 1648, o invasor estrangeiro nas terras nordestinas, momento épico em que negros, brancos, índios e mestiços, irmanados e ombreados, sob o comando dos “Heróis da Pátria”, imortalizaram Guararapes como o berço da nossa nacionalidade".

"Mão Amiga, ao coordenar e apoiar, entre outras operações de caráter subsidiário, a Operação Pipa, que distribui, emergencialmente, há quase 20 anos, água potável a mais de quatro milhões de cidadãos brasileiros, moradores de quase 900 municípios afetados pela seca, contribuindo, assim, para que o estado brasileiro possa cumprir a função social para a qual é estabelecido".

"Braço Forte, ao manter homens e mulheres em permanente estado de prontidão, aptos e capacitados a defender a Pátria, até mesmo com o sacrifício da própria vida. A Força Terrestre, a despeito da carência de meios adequados, do descompasso salarial com outras carreiras de estado e dos recursos orçamentários, invariavelmente abaixo das necessidades, mantém seu papel de defesa da sociedade contra as ameaças internas e externas".

A Ordem do Dia destaca ainda que é nesse "sentido que o Exército, o Braço Forte e a Mão Amiga de ontem, de hoje e de sempre, tem procurado estar alinhado aos anseios da sociedade, aos valores da nossa nacionalidade e à grandiosidade do futuro da Nação. Àqueles que não percebem a relevância dessa trajetória, e que hoje tentam macular a imagem e a coesão do invencível Exército de Caxias, responderemos com mais trabalho, dedicação, transparência, gestão eficiente dos recursos públicos e com uma conduta exemplar, sempre amparada nos parâmetros legais. Brasileiros! Estejam certos de que vocês, homens e mulheres, que nos confiam os mais altos índices de credibilidade institucional, são a força que guia o nosso braço e a brandura que orienta a nossa mão".


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895