Combate à Covid-19 é uma prova da eficiência do SUS, diz Pazuello

Combate à Covid-19 é uma prova da eficiência do SUS, diz Pazuello

Ministro da Saúde participou de live do IBSaúde

Christian Bueller

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi um dos convidados do evento on-line

publicidade

O Instituto Brasileiro de Saúde, Ensino, Pesquisa e Extensão para o Desenvolvimento Humano (IBSaúde) comemorou os 30 anos da lei que deu origem ao Sistema Único de Saúde (SUS) com uma live em suas redes sociais. O recentemente empossado ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi um dos convidados do evento on-line, que também contou com secretária estadual da Saúde do RS, Arita Bergmann.

Em 19 de setembro de 1990 era aprovada a Lei 8080. Para o atual ministro, o combate à Covid-19 neste ano é uma prova da eficiência do SUS no país. “O sistema mostrou ter capacidade principalmente na ponta da linha, na execução. Os governos federal, estaduais e municipais, junto com a sociedade, se organizaram para isso”, afirmou. Pazuello frisa que a ferramenta da resposta ao novo coronavírus foi o SUS. “É um modelo tripartite, do ministério ao lado do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), um trabalho que funciona muito bem”, ressaltou.

O dentista José Eri Medeiros, presidente do IBSaúde, participou ativamente dos debates no RS pela aprovação da lei na época. Na live, lembrou da discussão entre os municípios para a criação da Lei Orgânica da Saúde quando era presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems). “Este movimento sanitário aprovou uma das reformas mais importantes do país. Resgatamos a inclusão social do povo brasileiro e tratamos da dignidade humana, ao criar a possibilidade concreta de um atendimento universal e integral a todos no território nacional”, disse Medeiros.

Arita Bergmann salientou que o SUS é uma política pública que salva vidas. “Em 1990, não havia uma estrutura deste porte nos municípios. Vimos, então uma evolução. Ampliou-se a estratégia da saúde da família e certamente contribuiu para a diminuição da mortalidade infantil”, enfatizou a secretária. Ela destacou o papel das conferências nacionais de saúde e as criações dos conselhos municipais e estaduais de saúde. “O SUS é uma conquista do povo brasileiro. Se não tivesse o SUS durante a pandemia, talvez estivéssemos em uma situação muito pior no país”, frisou, destacando, ainda, o trabalho da Vigilância em Saúde.

O senador e ex-presidente, Fernando Collor de Mello, o deputado federal e líder do Governo, Ricardo Barros, o ex-ministro da Saúde e diretor Assistencial do IBSaúde, Alceni Guerra e o diretor Financeiro do Conasems, Hisham Mohamad Hamida, também participaram da live.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895