Combate a focos de incêndio no prédio da SSP continua em Porto Alegre

Combate a focos de incêndio no prédio da SSP continua em Porto Alegre

Odor da fumaça que sai do local, na rua Voluntários da Pátria, podia ser sentido a quilômetros de distância

Henrique Massaro

Trabalhos intensos do Corpo de Bombeiros Militar seguem no prédio da SSP

publicidade

Mesmo depois de controlada a maior parte das chamas que destruíram o prédio da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) na noite de quarta-feira, em Porto Alegre, a quinta-feira continua com trabalhos intensos do Corpo de Bombeiros Militar. O odor da fumaça que sai do local, na rua Voluntários da Pátria, podia ser sentido a quilômetros de distância ao longo da manhã e no início da tarde, quando focos de calor ainda precisavam ser controlados no que restou da edificação de nove andares. Enquanto isso, continuam também as buscas pelos dois bombeiros desaparecidos. 

Durante a madrugada e a manhã, os bloqueios no trânsito eram grandes por conta dos trabalhos de contenção das chamas e do risco de desabamento do restante do prédio, cuja estrutura já havia caído parcialmente no início do incêndio. Na noite de quarta-feira, o fogo iniciado no quarto andar da SSP, pertencente à Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), fez com que a parte central da estrutura ruísse, condenando o edifício, que, segundo o governo do Estado, será demolido.

Ao longo do dia, diversas viaturas do Corpo de Bombeiros entram e saem pelo pórtico na rua Voluntários da Pátria. Efetivos de bombeiros voluntários de municípios próximos ajudaram no controle das chamas e máquinas como escavadeiras também foram levadas até o local. No fim da manhã, o comandante do 1º Batalhão de Bombeiro Militar, tenente-coronel Eduardo Estevam Rodrigues, informou que as guarnições de combate a incêndio trabalhavam no rescaldo, promovendo o “resfriamento” do prédio. Equipes de engenharia do Instituto Geral de Perícias (IGP), da Secretaria de Obras e da Defesa Civil realizavam a avaliação da estrutura.

O comandante também afirmou que continuam as buscas pelo tenente Almeida e o sargento Muñoz, desaparecidos durante o combate ao incêndio, na esperança de encontrá-los com vida. O trabalho é desempenhado pelas guarnições da Companhia Especial de Busca e Salvamento. Depois do ingresso das equipes no prédio, se necessário, ainda serão utilizados cães farejadores e equipe especializada na retirada de destroços.

O acesso ao prédio da SSP está interditado, mas ao longo do dia autoridades passaram pelo local. O governador Eduardo Leite, que cumpria agenda em Brasília, chegou à Capital e se dirigiu à sede da Segurança Pública por volta das 8h30min. O vice-governador e secretário de Segurança, Ranolfo Vieira Júnior, esteve acompanhando os trabalhos desde a noite de quarta-feira. O prefeito em exercício Ricardo Gomes e o secretário municipal de Segurança Pública, Mário Ikeda, também estiveram no local e lamentaram o ocorrido.  

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895