Comitê Científico do governo do RS reforça indicação de protocolos da bandeira preta

Comitê Científico do governo do RS reforça indicação de protocolos da bandeira preta

Órgão divulgou nota alertando para agravamento rápido da situação da Covid-19

Jessica Hübler

publicidade

O Comitê Científico de Apoio ao Enfrentamento à pandemia de Covid-19 do governo do Estado emitiu, no final da noite de quarta-feira, uma recomendação para todo o território gaúcho. O documento foi formulado após uma reunião do grupo sobre o momento atual da pandemia, frente ao agravamento da situação epidemiológica, e insiste pela adoção dos protocolos de bandeira preta, enquanto grande parte dos municípios opta pela cogestão em vermelha.

“O manejo efetivo de contenção da circulação do vírus na comunidade necessita o engajamento de toda a sociedade”, reforça a nota. O Comitê reiterou a recomendação de medidas como suspensão imediata da cogestão e a realização de uma campanha de comunicação massiva sobre a gravidade da situação, envolvendo gestores, sociedade civil organizada, sistema público e privado de saúde e toda a população.

Além disso, o grupo ainda destacou a importância de enfatizar que a via de transmissão respiratória (gotículas e aerossóis) é a mais importante e que, portanto, são fundamentais: o uso de máscaras bem ajustadas, a ventilação de ambientes e a manutenção do distanciamento físico entre pessoas.

 Ainda com relação às adaptações aos protocolos da bandeira preta, o Comitê sugere que poderão ser consideradas adaptações específicas para incorporar novas evidências, de modo a permitir um equilíbrio entre as necessidades de cada setor e a redução da circulação de pessoas. Uma sugestão é que cada setor possa avaliar, dentro da bandeira preta, como poderia aumentar sua segurança de funcionamento.

“Observamos um nível de ocupação de leitos de UTI e uma aceleração de internações clínicas em velocidade sem precedente no nosso meio. Em 23 de fevereiro estavam internados 2.260 pacientes em leitos clínicos e 1.218 em leitos de UTI. É o maior valor de toda a série e vai continuar crescendo, já é possível sentir o efeito das aglomerações do carnaval”, informou o Comitê.

Ainda segundo o documento, a expectativa é de mais de 150 internações em leitos clínicos e mais de 50 em leitos de UTI por dia. “Os dados disponíveis mostram que um em cada três pacientes internados na UTI por COVID-19 vão morrer em função da evolução da doença”, declarou o grupo.

A recomendação do Comitê ainda ressalta é fundamental que a sociedade compreenda o momento que estamos vivendo. “A situação que já é crítica, pode se agravar muito rapidamente, com explosão de casos e de mortalidade e de esgotamento do sistema de saúde. Agora é hora de união de esforços pelo bem comum”.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895