Comitê da prefeitura visita escola comunitária na Vila Conceição, em Porto Alegre

Comitê da prefeitura visita escola comunitária na Vila Conceição, em Porto Alegre

Prefeito Nelson Marchezan Júnior e secretário Adriano Naves de Brito verificaram os protocolos de segurança do local

Cláudio Isaías

Visita ocorreu na escola comunitária de Educação Básica Aldeia Lumiar, na vila Conceição

publicidade

No retorno das atividades da escola comunitária de Educação Básica Aldeia Lumiar, na vila Conceição, na zona Sul de Porto Alegre, o Comitê de Enfrentamento do Coronavírus visitou nesta terça-feira a instituição de ensino. O prefeito Nelson Marchezan Júnior e o secretário municipal de Educação, Adriano Naves de Brito, verificaram a utilização dos protocolos de segurança e visitaram as cinco salas de aula da escola. Na entrada da instituição de ensino, foi verificada a temperatura corporal dos alunos. 

Brito elogiou as medidas adotadas pela escola como o uso do álcool em gel, uso de máscara e o distanciamento. Quatro turmas do primeiro ciclo já retomaram as aulas no dia de ontem, totalizando 29 crianças. Duas turmas do segundo ciclo retornarão no dia 3 de novembro, quando estará autorizada a volta do Ensino Fundamental 2, de acordo com o cronograma determinado pela prefeitura - que inclui ainda o 1º e o 2º anos do ensino médio. Com esta última etapa, estará concluída a retomada da educação básica na Capital.

Veja Também

Desde segunda-feira, estão autorizadas na rede municipal as atividades presenciais no ensino fundamental 1 (até o 5º ano), incluindo educação especial e contraturno, tanto nas redes públicas como na privada. Em 5 de outubro, puderam retornar a educação infantil, o terceiro ano do ensino médio, a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e a profissionalizante. Um levantamento da Smed apontou que 26 das 99 escolas abriram na segunda-feira. As instituições de ensino que permaneceram fechadas deixaram 27,5 mil alunos sem a oportunidade de retomar os estudos. Enquanto isso, segundo a Smed, a rede comunitária já chegou a 100% de atendimento.

As escolas da rede municipal receberam R$ 2,5 milhões como verba extra para compra de materiais de proteção contra o coronavírus, além de todos os repasses trimestrais, mesmo sem atividades letivas - um recurso de mais de R$ 9,4 milhões ao longo do ano, além de termômetros digitais de testa e kits com itens como álcool em gel, sabonete líquido e protetores faciais. Por sua vez, as escolas comunitárias tiveram repassado o valor integral referente ao mês de setembro, totalizando R$ 12,6 milhões.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895