Covid-19 atinge 68% dos municípios gaúchos, aponta SES

Covid-19 atinge 68% dos municípios gaúchos, aponta SES

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, até o momento, 340 cidades apresentaram casos de coronavírus

Correio do Povo

Governador anunciou ajustes no Modelo de Distanciamento Controlado nesta quinta-feira

publicidade

Em seu boletim epidemiológico mais recente, publicado às 16h, nesta quinta-feira, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) atualizou para 340 o número de municípios que já registraram pelo menos um caso da Covid-19 no Rio Grande do Sul. Em 11 dias no mês de junho, a pasta notificou casos em 48 novas cidades.

A SES também contabilizou nesta quinta-feira sete novos óbitos e 552 casos de coronavírus no Estado, totalizando 323 vítimas fatais e 14.168 infectados pela doença. No entanto, nesta nova atualização, ainda não constam seis óbitos já confirmados pelas secretarias municipais de Getúlio Vargas, Mariana Pimentel, Gravataí, Campo Bom, Guaíba, Canguçu e Novo Hamburgo o que eleva para, pelo menos, 330 óbitos pela doença no Estado. 

Segundo a Secretária Estadual da Saúde, 11.277 pacientes já se recuperaram da doença, que apresenta taxa de letalidade aparente de 2,3% no RS.

Novos óbitos notificados pela SES:

- Jaguari (homem, 64 anos)
- Porto Alegre (homem, 49 anos)
- Porto Alegre (mulher, 55 anos)
- Porto Alegre (homem, 80 anos)
- Santa Maria (homem, 76 anos)
- São Leopoldo (mulher, 87 anos)
- Viadutos (homem, 83 anos)

Óbitos que ainda não constam no balanço da SES:

- Getúlio Vargas - mulher, 67 anos
- Mariana Pimentel - homem, 73 anos
- Gravataí - mulher, 61 anos
- Campo Bom - mulher, 81 anos
- Guaíba - homem, 40 anos
- Canguçu - vítima não detalhada 
- Novo Hamburgo - Homem, 81 anos 

Governador anunciou ajustes no Modelo de Distanciamento Controlado nesta quinta-feira

O governador Eduardo Leite anunciou, na tarde desta quinta-feira, ajustes no modelo de distanciamento controlado no Rio Grande do Sul. As novas regras apresentam alteração no ponto de corte de indicadores de Covid-19 no Estado, ajustes no uso das bandeiras nas regiões, que precisará apresentar estabilização para mudanças, e uma projeção para antecipar futuros colapsos nas UTIs pelo Estado. 

Segundo Leite, o modelo é teórico e inovador pois faz uma conciliação da atividade econômica com a proteção à vida. "Não está nas mãos do governo ter menos restrições, está nas mãos da população gaúcha. Por isso precisamos do engajamento de todos. Não é flexibilização. Estamos distantes de uma volta à normalidade", afirmou durante a transmissão ao vivo pelo Facebook. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895