Covid: Brasil supera EUA na taxa de pessoas com vacinação completa

Covid: Brasil supera EUA na taxa de pessoas com vacinação completa

Já são 59,9% de brasileiros totalmente imunizados contra o coronavírus contra 58,8% de norte-americanos com proteção total

R7

Proporcionalmente, Brasil tem mais vacinados que os EUA

publicidade

O Brasil superou os Estados Unidos na taxa da população completamente vacinada contra a Covid-19. De acordo com dados do DataSUS (departamento de informática que centraliza informações do Sistema Único de Saúde), o país tem 59,9% de pessoas completamente imunizadas, enquanto os EUA, segundo informações do Centro de Controle e Prevenção de Doença (CDC), chegou a 58,8% dos norte-americanos vacinados. 

Em números absolutos, o Brasil aplicou menos doses do que os EUA, a diferença se dá porque a população do país estrangeiro é maior.

O Brasil tem 127.998 de pessoas com as duas doses ou com o imunizante de dose única, o que equivale a 59,9% dos brasileiros. Tomando por base dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira é de 213,2 milhões.

Enquanto que os Estados Unidos são 195.275.904 de cidadãos imunizados completamente, o que significa 58.8% de vacinados, já que são 331,8 milhões de pessoas que vivem por lá, segundo o CDC. 

Veja Também

Na comparação de pessoas com a primeira dose, a situação se repete. O Brasil tem 157.291.218 de pessoas com uma aplicação, o que representa 73,9% da população nacional. Já os EUA tem 227.133.617 de vacinados com primeira dose, 68,4% dos norte-americanos. 

Já quando são comparados os dados da dose de reforço, o país estrangeiro está bem à frente do Brasil. Lá, são 30.067.444 de pessoas com terceira dose, o que representa 9,07% da população. Aqui são 11.312.912 milhões de brasileiros com reforço, 5,29% da população.  

Dados do Our World in Data, site que compila informações mundiais da Covid-19 e vinculado à Universidade de Oxford, na Inglaterra, 41% da população do mundo está completamente imunizada e 52% recebeu ao menos a primeira dose da proteção contra o coronavírus.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895