capa

Dia sem sacolas plásticas nas feiras ecológicas da Redenção

Iniciativa será realizada uma vez por mês na avenida José Bonifácio

Por
Cláudio Isaías

Quem circulou na manhã de sábado pelo Parque da Redenção apoiou a medida

publicidade

Com a proposta de estimular o dia sem sacolas plásticas, as feiras Ecológica do Bom Fim (FEBF) e dos Agricultores Ecologistas (FAE) no Parque da Redenção promoveram no sábado uma ação especial para diminuir o impacto ambiental causado pela utilização do produto. A iniciativa será realizada uma vez por mês nas 138 bancas na avenida José Bonifácio. No local, trabalham mais de 300 pessoas.

A feirante Márcia Riva, integrante da FAE, afirmou que a ideia foi estimular os frequentadores para que optassem por soluções mais sustentáveis na hora de levar as compras para casa. Segundo ela, os integrantes das duas feiras se uniram em busca de um objetivo comum: reduzir o uso de embalagens entre o público.

Quem circulou na manhã de sábado pelo Parque da Redenção apoiou a medida. A professora universitária Ana Letícia Camargo, moradora do bairro Santana, disse que resolveu levar duas sacolas retornáveis para realizar as compras de frutas e verduras. "É uma iniciativa que deve ser apoiada por toda a sociedade e ajuda a preservar o meio ambiente", destacou. A comerciante Valéria Gardini, afirmou que o publico elogiou a ideia das duas entidades que promovem as feiras ecológicas no Parque da Redenção.

A ação foi realizada na primeira e segunda quadras - ambas orgânicas, mas que contam com diferentes sistemas internos de organização - que somam 138 bancas, que realizam a distribuição, em média, de 265 sacolas por box a cada sábado. Um levantamento de organização apontou que são 36,5 mil sacolas por feira, ou cerca de dois milhões de sacolas ao ano. O resíduo pode levar até 400 anos para se decompor na natureza. O impacto só não é maior porque entre os consumidores há um grande número de pessoas que levam sua própria bolsa.

O lançamento da ação ocorreu dentro da Semana do Alimento Orgânico e antecipa as comemorações da Semana Mundial do Meio Ambiente, celebrada nos primeiros dias de junho. O objetivo é o de estimular práticas sustentáveis que, assim como o manejo livre de agrotóxicos, diminuam impactos ambientais e auxiliem na proteção e preservação do planeta.

O vereador Marcelo Sgarbossa (PT), que participou da feira ecológica da Redenção, apresentou um projeto de lei na Câmara Municipal de Porto Alegre, que proíbe a distribuição gratuita ou a venda de sacolas plásticas aos consumidores nos estabelecimentos comerciais da Capital. Segundo o parlamentar, o projeto é baseado na consciência ambiental que vem aumentando no mundo.

No Brasil, são 13 as capitais que passaram a propor leis para restringir ou banir os sacolas plásticas, incluindo São Paulo, que teria reduzido em 70% o uso de sacolas, de acordo com a Associação Paulista de Supermercados.