Dnit faz teste para verificar deformações na nova ponte do Guaíba

Dnit faz teste para verificar deformações na nova ponte do Guaíba

Bloqueio vai até as 16h desta quarta-feira

Felipe Samuel

Bloqueio vai até as 16h desta quarta-feira

publicidade

Para verificar o comportamento da estrutura da segunda ponte do Guaíba, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) interditou, nesta quarta-feira, totalmente a via para ensaio de prova de carga dinâmica. O objetivo é verificar as deformações nos apoios do vão navegável - vãos centrais - da travessia. Três caminhões carregados com brita trafegaram seis vezes pelo trecho: três no sentido Porto Alegre/Região Metropolitana-Eldorado do Sul e outras três no sentido Eldorado do Sul-Porto Alegre/região Metropolitana.

Os caminhões passaram pela ponte com velocidades que variavam de 20km/h a 60km/h. Os técnicos do DNIT instalaram equipamentos nos pilares da ponte para apurar o desempenho da estrutura. Os testes se encerraram às 13h, antes da previsão da autarquia. Com a pista bloqueada, outros funcionários aproveitaram para limpar alguns trechos. O engenheiro fiscal da obra, Carlos Vieira, afirma que a ideia é verificar o comportamento da estrutura. "Basicamente verificamos os elementos em deformação", resume.

De acordo com Vieira, o ensaio de prova de carga dinâmica visa a certificação inicial do comportamento estrutural da ponte, com a determinação das propriedades de rigidez dos vãos para serem referenciados no manual de manutenção da estrutura - que completa um ano de inauguração em 10 de dezembro. "Não é uma questão de rotina, é para a gente prever se ela vai durar 150, 100, 120 anos", destaca. O DNIT informa que o teste é necessário porque a tecnologia construtiva utilizada na travessia é pioneira no Estado e precisa ser monitorada.

Com a ponte bloqueada até as 16h, os usuários que se dirigiam do sentido Eldorado do Sul-Porto Alegre/Região Metropolitana precisaram seguir direto para acessar a ponte móvel. Os motoristas que saíram de Porto Alegre em direção a Eldorado do Sul utilizaram como alternativa a Rua João Moreira Maciel para conseguir acesso à ponte móvel. Apesar da interdição, não houve congestionamento na região.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895