Em greve, trabalhadores do Hospital Porto Alegre arrecadam donativos

Em greve, trabalhadores do Hospital Porto Alegre arrecadam donativos

Desde a última segunda-feira, os funcionários estão paralisados, devido a falta de pagamento dos salários

Gabriel Guedes

Há dois meses sem receber salários, trabalhadores do Hospital Porto Alegre resolveram fazer um “pedágio solidário” na manhã desta quinta

publicidade

Há dois meses sem receber salários, trabalhadores do Hospital Porto Alegre resolveram fazer um “pedágio solidário” na manhã desta quinta-feira. O ato, que aconteceu na rua Sebastião Leão, das 8h30min até pouco depois das 10 horas, foi organizado pelo Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnicos, Duchistas, Massagistas e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Rio Grande do Sul (Sindisaúde-RS), que representa parte dos funcionários. A intenção foi arrecadar alimentos, que servirão para ajudar alguns dos trabalhadores da instituição que estejam passando dificuldades.

Desde a última segunda-feira, os funcionários estão em greve, devido a falta de pagamento dos salários. O secretário-geral do Sindisaúde-RS, Julio Apel, afirma que há muita informação desencontrada sobre quando a situação será regularizada. “Um joga para o outro e ninguém diz nada”, acusa.

Apel também afirma que os funcionários da empresa terceirizada que também atua no hospital, estão com o pagamento em dia, e que apenas os trabalhadores contratados diretamente pela instituição estão sem receber. Também não há falta de materiais para trabalho. “Já que a administração priorizou os insumos”, acrescenta o sindicalista.

O presidente da Associação dos Funcionários Municipais de Porto Alegre (AFM), que é proprietária, administradora e mantenedora do Hospital Porto Alegre, João Galvez Machado, foi procurado, mas não atendeu às ligações da reportagem. Mas recentemente, ele reconheceu mais uma vez as dívidas do hospital e que estava na expectativa de receber, em breve, um pagamento de R$ 130 mil, o que permitiria pagar mais alguma parcela dos salários em atraso.

O Hospital Porto Alegre, em dificuldades desde o ano de 2015, conta com 230 funcionários, numa folha de pagamento de R$ 900 mil, além de R$ 300 mil para os médicos e R$ 250 mil para a terceirizada que contrata técnicos de enfermagem e higienização. De acordo com Apel, o pedágio solidário só conseguiu arrecadar R$ 48, além de cinco cestas básicas, doadas pela vereadora Daiana Santos (PCdoB).

“Foi um ato para o pessoal arrecadar doações para eles mesmos. Mas não seguimos porque o pessoal da noite precisava ir pra casa descansar”, conclui Apel.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895