Emoção marca homenagens ao jogador Radaeli em Novo Hamburgo
capa

Emoção marca homenagens ao jogador Radaeli em Novo Hamburgo

Jogador de futsal faleceu no domingo em acidente com a delegação do Passo Fundo Futsal

Por
Henrique Massaro

Emoção marca despedida a Radaeli, em Novo Hamburgo

publicidade

Assim como na homenagem em Passo Fundo no final da noite de domingo, o velório do jogador de futsal Pablo Yago Radaeli em Novo Hamburgo reuniu diversas pessoas ao longo da segunda-feira. Familiares, amigos de infância e conhecidos ligados ao esporte prestaram as últimas homenagens ao craque de 22 anos, morto na madrugada de domingo após um acidente com a delegação do Passo Fundo Futsal (PFF), em Itaqui. 

O corpo de Radaeli saiu do ginásio Capingui, em Passo Fundo, por volta da 1h da madrugada de segunda e chegou próximo das 5h em Novo Hamburgo, de onde o jogador era natural. Assim como na quadra do último time defendido pelo ala, o clima era de muita comoção em sua terra natal, onde seus pais e irmã residem. A família optou pela cremação, marcada para as 16h.

“A principal lembrança é a alegria contagiante dele e o amor que ele tinha pelo futebol e pela família”, afirmou a irmã de Pablo, Pâmela Radaeli, que completa 26 anos na próxima quarta-feira. Como o artilheiro do PFF na temporada era nascido em 1997, havia a dúvida do motivo pelo qual ele utilizava a camisa 93. De acordo com familiares, era uma homenagem ao ano de nascimento da irmã e da namorada Luciana Schäfer. 

O marido de Pâmela, o enfermeiro Vinícius da Cruz, estava de plantão em Novo Hamburgo e foi uma das primeiras pessoas a saber da morte do cunhado. Ele recebeu uma ligação da namorada de Pablo informando que um acidente havia ocorrido e, perto das 5h, foi informado pela mãe dela que o jogador havia morrido. Foi ele o encarregado de avisar Pâmela e sua mãe, Márcia, que voltava de uma viagem de Santa Catarina na mesma madrugada. Em seguida, o pai de Radaeli, Marco, que dormia em casa, foi comunicado.

“Ele era uma pessoa muito alegre, onde passava sempre deixava boas energias”, relembrou o cunhado do atleta. De acordo com ele, o jogador gostava muito de crianças e era o centro das atenções dos pequenos na família, em especial os afilhados Pedro e Bruno. No Passo Fundo Futsal, segundo relatos, o ala também era ídolo da criançada na torcida. 

Pablo Yago Radaeli saiu de Novo Hamburgo aos 17 anos de idade para jogar em Minas Gerais, onde defendeu o Minas Tênis Clube. Depois, passou pela ASIF de Ibirubá e pela Uruguaianense, de Uruguaiana. Ainda defendeu o Dracena de São Paulo, até ir para o PFF, no início desta temporada. No clube do norte gaúcho, era o artilheiro de 2019 com 15 gols.