Equipes de busca por bombeiros desaparecidos são reforçadas, em Porto Alegre

Equipes de busca por bombeiros desaparecidos são reforçadas, em Porto Alegre

Cães farejadores vindos do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina também auxiliam no resgate

Henrique Massaro

Buscas por dois bombeiros desaparecidos chegam ao sexto dia

publicidade

Seis dias após o incêndio que condenou o prédio da Secretaria da Segurança Pública (SSP), em Porto Alegre, as buscas pelos dois bombeiros desaparecidos ainda não haviam sido concluídas.

O provável quadrante onde os servidores estão localizados, na metade esquerda da edificação, vem sendo foco dos trabalhos desde segunda-feira, paralelamente à estabilização de estruturas com risco de queda, como pilares, vigas e lajes. Nesta terça, as equipes foram reforçadas com dois binômios – duplas formadas entre homens e cães farejadores – vindos do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina.  

“Avançamos muito e chegamos num núcleo onde estão supostamente nossos bombeiros militares desaparecidos, segundo todos os estudos realizados. Diante disso, estamos ampliando as fontes de trabalho para que, com segurança, façamos a busca aliada a um aumento efetivo da equipe”, explicou o comandante do 1º BBM, tenente-coronel Eduardo Estevam Rodrigues. Segundo ele, os grupos de 60 a 70 homens trabalham no local de forma ininterrupta. 

O provável local onde estão os dois bombeiros desaparecidos, segundo Rodrigues, conta agora com acesso mais facilitado. Enquanto as análises e buscas ocorriam, as equipes de busca e resgate em estruturas colapsadas atuavam na limpeza da área, já que, desde a entrada do prédio, havia diversos elementos estruturais obstruindo a passagem. “Não é um trabalho fácil, são muitos escombros, materiais, entulhos que temos que retirar com cuidado. Isso não é um serviço de demolição, é um serviço de resgate”, detalhou o comandante. 

O ponto central do quadrante delimitado pelas equipes tem cerca de 5,5 metros de profundidade e mais de 50% já foi inspecionado. Rodrigues explicou que não há possibilidade dos bombeiros desaparecidos estarem em algum ponto já vistoriado. “É feito um trabalho muito minucioso de busca. Enquanto uma equipe está fazendo o trabalho dentro da estrutura, temos outras equipes que ficam fora verificando todo o material retirado para verificar se há vestígios que possam indicar a localização desses bombeiros.”

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895