Escolas estaduais aderem à greve nacional em Porto Alegre
capa

Escolas estaduais aderem à greve nacional em Porto Alegre

Em levantamento parcial da Secretaria da Educação, pelo menos 24 instituições estão paralisadas

Por
Samantha Klein

Colégio Estadual Padre Rambo avisou alunos e pais que não haveria aula nesta sexta-feira.

publicidade

A greve geral nacional convocada por centrais sindicais atingiu o setor da Educação nesta sexta-feira. Parte das escolas e universidades aderiram. Nos colégios estaduais, a adesão foi maior. Em Porto Alegre, diversas escolas visitadas pela reportagem estavam com os portões fechados durante a manhã de hoje ou tiveram aulas com turnos reduzidos. 

Instituições de Ensino Médio como o Colégio Júlio de Castilhos, Costa e Silva, Dom Pedro I, Jerônimo de Ornellas e Dom Pedro I estavam com os portões trancados. Já outras escolas como Apeles Porto Alegre e Estado do Rio Grande do Sul atendiam parcialmente. "Estamos participando das últimas manifestações em prol da educação, assim como nos mantemos protestando em âmbito do Estado até que cessem os parcelamentos dos salários", diz a professora Ana Paula dos Santos, docente de Literatura do Julinho. "E participo também da manifestação que ocorrerá no final do dia. É um protesto que envolve todo mundo, sendo que o Ensino Superior é um dos mais afetados", complementa a também mestranda da Faculdade de Educação da UFRGS. 

Já uma professora reclamou da greve contra a reforma da Previdência. "Somente professores de esquerda estão paralisados. Quem é de centro e direita está trabalhando porque nossos protestos acontecem aos domingos", diz a docente que preferiu não se identificar.

Conforme informação parcial realizado pela Secretaria Estadual da Educação, a Coordenadoria Regional de Educação de Porto Alegre, que abrange 247 escolas estaduais, informou que até o momento 56 diretores de escolas responderam. Dessas instituições, 15 não aderiram à greve, 24 estão totalmente fechadas, e 17 estão parcialmente paralisadas. O Cpers Sindicato informou que ainda não realizou levantamento próprio. 

No interior do Estado, também houve adesão ao movimento grevista. A Pasta da Educação informou que na região de Estrela, 10 colégios paralisaram totalmente. A Coordenadoria Regional de Educação responde por 88 estabelecimentos de ensino público. 

Na região de Caxias do Sul, das 119 escolas públicas, 36 interromperam as atividades hoje. Em Passo Fundo e arredores, a paralisação atingiu nove escolas enquanto outras sete tiveram algumas adesões individuais de professores. Já a Coordenadoria Regional de Educação de Carazinho informou que, de um total de 60, oito instituições não abriram as portas. 

Conforme as coordenadorias de Ijuí e Vacaria, somente um colégio em cada uma das regiões paralisou suas atividades escolares. No âmbito da CRE de São Luiz Gonzaga, há 52 escolas, sendo que 16 paralisaram, quatro tiveram interrupção parcial das aulas e as demais mantiveram com atividades normais.

• Acompanhe manifestações ao vivo 

• Confronto em frente à garagem de ônibus deixa pelo menos quatro feridos em Alvorada

Nas universidades, as aulas foram suspensas em várias unidades da UFRGS, nos Institutos Federais, na UFPel e Furg. Em Santa Maria, a entrada do campus principal da UFSM foi interrompida por manifestantes. Quase todas as atividades foram suspensas na instituição de Ensino Superior devido adesão de professores, funcionários e alunos à paralisação.