Estados começam campanha de imunização infantil, mas RS aguardará dia 19

Estados começam campanha de imunização infantil, mas RS aguardará dia 19

Municípios aplicaram primeiras doses nesta sexta-feira e restante dos estados começa entre este sábado e segunda-feira. Rio Grande do Sul será o último

Correio do Povo

São Paulo, Recife, Belo Horizonte e Maricá (RJ) realizaram eventos simbólicos nesta sexta-feira

publicidade

Municípios de quatro estados brasileiros deram a largada nesta sexta-feira à campanha de imunização de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. Outros oito estados organizaram o início da campanha para este sábado e mais dois no domingo. Na segunda-feira, todos os demais terão aplicado as primeiras doses da vacina infantil da Pfizer no público desta faixa etária com comorbidades, deficiências ou que sejam indígenas. As crianças gaúchas, contudo, terão que aguardar até a quarta-feira, quando o governo do Estado prevê começar a campanha de maneira simultânea em todos os municípios. Se o cronograma se cumprir, o Rio Grande do Sul será o último estado do país a começar a campanha.

O lote com as 59,1 mil doses das vacinas destinadas ao público do Estado chegou por volta das 13h15min desta sexta-feira ao Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, após duas alterações de horário. O dia foi marcado por transtornos na entrega das doses pelo Ministério da Saúde. Dos 26 voos programados, 12 tiveram que ser remarcados devido a casos de Covid-19 entre a tripulação. 

Em São Paulo, onde as doses não dependiam de transporte aéreo, uma cerimônia simbólica marcou a largada da campanha. O governador João Doria acompanhou o início do processo. O menino Davi Seremramiwe, de 8 anos, indígena da etnia xavante, do Mato Grosso, foi a primeira criança brasileira a receber a vacina da Pfizer, no mesmo local em que foi imunizada contra a Covid-19 a enfermeira Mônica Calazans, no dia 17 de janeiro de 2021. 

Recife também realizou um evento simbólico nesta sexta-feira, assim como outros municípios paulistas, mineiros e fluminenses (veja as fotos). Santa Catarina e outros seis estados começam oficialmente nesta sábado a campanha e o DF e a Paraíba no domingo. O restante dará a largada na segunda-feira. Confira o cronograma:

  • Já começou a vacinar: São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais e Rio de Janeiro
  • A partir deste sábado: Mato Grosso do Sul, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe, Espírito Santo e Santa Catarina
  • A partir do domingo: Distrito Federal e Paraíba
  • A partir de segunda-feira: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Goiás, Alagoas, Piauí, Paraná, Tocantins, Mato Grosso e Bahia
  • A partir de quarta-feira: Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, a vacinação das crianças começará apenas na quarta-feira, tanto em Porto Alegre quanto nos demais municípios gaúchos. A Secretaria Estadual de Saúde defende que “impôs ritmo diferenciado para garantir a segurança da campanha”. De fato o ritmo é outro. Em janeiro do ano passado o governo do estado organizou uma cerimônia para vacinar os primeiros adultos contra a Covid-19 que, devido a atrasos no repasse das doses, acabou iniciando às 23h. Faltavam poucos minutos para a meia noite do dia 18 de janeiro, um dia depois da largada oficial ocorrer em São Paulo pelo governador João Dória, quando os cinco representantes dos grupos prioritários foram imunizados simultaneamente contra a Covid-19. Eduardo Leite acompanhou de perto o evento que também foi transmitido ao vivo pelas redes sociais do governo.

Desta vez o estado optou por realizar a sepração e envio dos lotes para as regionais ao longo de cinco dias. Primeiro serão vacinados os 96.427 meninos e meninas com algum tipo de comorbidade. Em Porto Alegre, 120 mil pessoas se enquadram no público-alvo. “Na realidade, vacinar as crianças é tão importante quanto imunizar os adultos considerando que quanto mais pessoas vacinadas nós tivermos, haverá diminuição na proporção de vírus circulante”, explica a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Cynthia Molina Bastos.

“Ainda que as crianças não sejam os grupos que mais internem ou tenham quadros graves, como temos muitas no mundo, sempre acontecerá de algumas crianças terem algum caso grave. A maioria estando vacinada protegerá inclusive as não vacinadas ou que não possam se vacinar por alguma questão de saúde também”, acrescenta a especialista.

Até a noite desta sexta-feira não estava definido ainda quais as quantidades das doses que serão destinadas para a Capital e para os municípios do interior do Estado. O repasse para essas cidades será feito na segunda e na terça-feira. As doses ainda precisam ser separadas pela Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi). Até lá, os municípios trabalharão na estrutura das salas de vacinas.

O primeiro público contemplado com a vacina será de crianças entre 5 e 11 anos com comorbidades (como diabetes, hipertensão, asma ou meninos e meninas imunossuprimidos), ou com alguma deficiência permanente. No segundo grupo, aparecem crianças indígenas e quilombolas, enquanto fazem parte do terceiro aquelas que vivem em lares com pessoas com alto risco para evolução grave da doença. Por sua vez, no quarto grupo, estão as crianças sem comorbidades por ordem decrescente de faixa etária.

Os pais ou responsáveis deverão acompanhar a administração da vacina durante o ato de imunização de seus filhos. Em caso de ausência, será necessária autorização por escrito. Também será preciso apresentar documento de identidade da criança e do familiar ou responsável por acompanhá-la. Não será necessário possuir prescrição médica.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895