Execução de projeto de dragagem da Lagoa Mirim foi tema de reunião da Comissão do Mercosul

Execução de projeto de dragagem da Lagoa Mirim foi tema de reunião da Comissão do Mercosul

Comissões de Assuntos Internacionais do Brasil e do Uruguai debateram o tema em reunião extraordinária via Sistema de Deliberação Remota

Sidney de Jesus

Reunião extraordinária ocorreu nesta quarta-feira

publicidade

A Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais, presidida pelo deputado Frederico Antunes (PP), realizou nesta quarta-feira, reunião extraordinária em conjunto com a Comissão de Assuntos Internacionais do Parlamento do Uruguai, para falar sobre importância da execução do projeto de dragagem da Lagoa Mirim, além da falta de fiscais sanitários no lado gaúcho, que impede a exportação de carne, e a criação de uma aliança para cooperação universitária focada na inovação.            

Transmitida, ao vivo, pelo canal do YouTube da TV Assembleia, a reunião teve como participantes o embaixador do Uruguai no Brasil, Guillermo Valles, o embaixador do Brasil no Uruguai, Antônio Simões, a secretária extraordinária de Relações Federativas e Internacionais do governo do Estado, Ana Amélia Lemos e outras autoridades brasileiras e uruguaias.  

Por sugestão do Embaixador brasileiro no Uruguai, Antônio Simões, a Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais da Assembleia Legislativa e a Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara de Representantes do Uruguai vão elaborar carta aberta aos presidentes dos dois países, explicando a importância da execução do projeto de dragagem da Lagoa Mirim.  

Projeto

Conforme o embaixador brasileiro, o projeto abrange uma área enorme, com uma população muito grande, especialmente os produtores que estão localizados ao longo da lagoa Mirim e Lagoa dos Patos, gerando muita renda. Simões afirmou que o projeto está orçado em seis milhões de dólares. "Não é possível que não se tenha recursos para este projeto. Esta obra também tem sentido político e histórico de trabalho conjunto entre o Uruguai e o Brasil,  através de seus presidentes", salientou. Ele propôs que outras parlamentares assinassem a carta aos presidentes e que ela fosse enviada para os ministros de infraestrutura.     

A possível navegabilidade da Lagoa Mirim e sua intersecção com a Lagoa dos Patos também foi citada como prioridade pelo Embaixador do Uruguai no Brasil, Guilhermo Valles. Ele disse que tem tratado do assunto com autoridades executivas e parlamentares brasileiras e que espera que a obra esteja no orçamento brasileiro para 2021. O emissário uruguaio fez referência ainda a dois outros assuntos pertinentes ao Rio Grande do Sul e ao país vizinho: a falta de fiscais sanitários no lado gaúcho que impede a exportação de carne, especialmente do rebanho ovino, e a criação de uma aliança para cooperação universitária focada na inovação.    

Veja Também

Estes temas dominaram as manifestações do presidente da Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara de Representantes do Uruguai, Daniel Caggiani, do deputado uruguaio Marne Osório, da secretaria Ana Amélia Lemos e do diretor-geral dos assuntos de Fronteira, limítrofes e marítimos do Ministério das Relações Exteriores do Uruguai, Fererico Perazza. O deputado Marne Osório expôs a sua preocupação com a situação dos migrantes de outros países na área de fronteira e na construção da segunda ponte entre Jaguarão (RS) e Rio Branco (UR) 

Pandemia 

O presidente da Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais da Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes (PP), afirmou que a prioridade imediata é o combate a pandemia. Ele pretende que as cidades da fronteira sejam prioridade na vacinação e que recursos físicos e humanos sejam capacitados para trabalhar em ambos os lados, se necessário. Antunes destacou também a necessidade de união para a efetivação da ligação férrea de Rivera e ferrovia Norte/Sul, no Brasil.          


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895