Farmacêutica recruta pacientes com Covid-19 em Bento Gonçalves para teste do molnupiravir

Farmacêutica recruta pacientes com Covid-19 em Bento Gonçalves para teste do molnupiravir

Além da cidade gaúcha, voluntários também serão chamados em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba

R7

Voluntários serão recrutados em Bento Gonçalves, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba

publicidade

Centros de pesquisa no país recrutam voluntários para o estudo clínico da fase 3 de testes do remédio molnupiravir, um antiviral oral experimental que atua para impedir a replicação de diversos vírus RNA, incluindo o SARS-CoV-2, que causa a Covid-19.

O medicamento foi desenvolvido pela farmacêutica norte-americana MSD, em parceria com a Ridgeback Biotherapeutics. Os testes estão sendo realizados em diversos países. No Brasil, sete centros de pesquisa estão selecionando participantes: três em São Paulo (dois na capital e um em São José do Rio Preto), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR) e Bento Gonçalves (RS).

Os principais critérios para participar são ter mais de 18 anos e apresentar teste positivo para Covid-19 nos últimos quatro dias com, pelo menos, um sintoma, que pode ser febre, tosse ou perda do olftato ou paladar, além de outros critérios específicos exigidos no protocolo da pesquisa. Não são aceitos voluntários hospitalizados ou que tomaram a vacina contra a Covid-19.

Os testes da fase 3 são realizados após os resultados promissores apresentados na fase anterior, que mostrou que a porcentagem de pacientes que foram hospitalizados ou morreram foi menor quando o molnupiravir foi administrado em comparação com um grupo que usou placebo.

A dose avaliada será de 800 mg, via oral, administrada duas vezes ao dia, por cinco dias. Segundo o fabricante, essa posologia foi determinada na fase 2, concluída em março em pacientes não hospitalizados com covid confirmada ou com sintomas iniciais. Nesta etapa, serão avaliadas segurança e eficácia. O resultado final está previsto apra outubro, de acordo com o fabricante.

A empresa anunciou que prevê a submissão às agências regulatórias para autorização de uso emergencial de molnupiravir, conforme andamento dos estudos no segundo semestre e ainda planeja um programa clínico para avaliar o uso de molnupiravir para profilaxia pós-exposição tmbém no segundo semestre.

"Estamos entusiasmados com o início dessa fase decisiva de pesquisa. Por se tratar de um medicamento oral, que pode ser administrado em casa, o molnupiravir tem o potencial de ajudar os pacientes com Covid-19 já no início da doença", afirmou Luis Filipe Delgado, diretor executivo de Pesquisa Clínica da MSD no Brasil, por meio de nota.

"Já temos resultados muito positivos com as vacinas na parte de prevenção e esperamos que esse tratamento antiviral oral tenha o potencial de ser um forte aliado no tratamento de pacientes e no combate à pandemia", acrescentou.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895