Feira do Peixe tem movimento intenso às vésperas da Páscoa

Feira do Peixe tem movimento intenso às vésperas da Páscoa

Procon instalou balanças no local para consumidores poderem pesar suas compras

Marcos Koboldt / Correio do Povo

Grande parte do público compra pescado especificamente neste período

publicidade

A quinta-feira chuvosa não impediu o intenso fluxo de consumidores atrás de peixe nas 56 bancas da 232ª Feira do Peixe de Porto Alegre, que termina às 12h de sexta-feira. As bancas do Mercado Público que comercializam pescado também registraram bom movimento. O comerciante Joceli Santos destacou que o total de vendas deste ano superou o de 2011 antes mesmo do encerramento. “Tainha e Merluza são os mais procurados. Apesar de vender mais, até por ser início de mês, o lucro do ano passado foi melhor”.

Para garantir uma boa compra na Feira do Peixe, o Procon instalou balanças no Mercado Público na qual os consumidores podem pesar o que compraram para comparar com o valor cobrado na banca. “A procura é desde segunda-feira. Aconteceram casos em que a diferença chegou a R$ 25. Orientamos as pessoas que, quando ocorre diferença, cobrem o dinheiro ou peguem mais peixe”, comentou Natalia Romero, do Procon. A Vigilância Sanitária fiscaliza a Feira do Peixe com seis técnicos e 11 fiscais. “Trata-se de um evento diferenciado. Procuramos verificar especialmente o acondicionamento do peixe e a higiene pessoal dos vendedores”, detalhou o chefe da equipe de alimentos da Vigilância, Paulo Casa Nova.

O gerente da Japesca, Joás da Silva Kaiper, explicou que grande parte do público compra pescado especificamente neste período. “Nossos funcionários sabem quando o cliente é novo. Ele precisa de mais orientações até sobre a forma de preparar a comida”, observou. “Em média, as pessoas compram para o consumo da família, de dois a três quilos. Os filés são mais procurados, bem como o camarão em bandeja”, acrescentou Kaiper.

O professor Paulo Cini mostrou-se surpreso com o movimento no entorno do Mercado Público. “Achei que a chuva diminuiria o número de pessoas aqui. Minha família costuma viajar para o interior no feriado de Páscoa, por isso não compramos peixe em Porto Alegre. Como ficamos, comprei camarão e linguado além de provar também o peixe na taquara”, contou Cini. A aposentada Neiva Ordováz garantiu o linguado da sexta-feira para toda a família, mas disse que voltaria nesta sexta na Feira do Peixe. “Sou cliente de anos e sempre é possível encontrar promoções no último dia. Consumo peixe o ano inteiro”, afirmou ela.

Bookmark and Share

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895