Fepam lança ferramenta para acompanhar dados de monitoramento da qualidade da água

Fepam lança ferramenta para acompanhar dados de monitoramento da qualidade da água

Plataforma vai permitir análises dos resultados das coletas no Estado por meio do Programa de Estímulo à Divulgação de Dados de Qualidade de Água

Felipe Samuel

publicidade

Com foco em monitorar a qualidade da água superficial das regiões hidrográficas do Rio Grande do Sul e disponibilizar dados à população, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) lançou ontem o sistema RS Água. Anunciada por videoconferência no projeto Diálogos Fepam, que traz o tema “Qualidade das Águas do RS”, a plataforma vai permitir análises dos resultados das coletas no Estado por meio do Programa de Estímulo à Divulgação de Dados de Qualidade de Água (Qualiágua). Durante o evento, que integra a 20ª Semana Estadual da Água, também foi apresentado estudo com a situação das águas no RS.

Ao apresentar diagnóstico com as condições de qualidade da água superficial no RS, a chefe de Planejamento Ambiental da Fepam, Cláudia Wolff, destaca que a região hidrográfica do Guaíba é a que apresenta pior qualidade. "A estação com pior qualidade é do Rio Gravataí", observa. A especialista avalia que o grande problema são os esgotos sanitário, cujo tratamento muitas vezes é inadequado. Por isso, ela defende mais investimentos em saneamento básico. "No Rio Gravataí a água está bastante comprometida pelo esgoto doméstico, pelas indústrias. É uma região com bastante área rural", completa.

Para mudar esse cenário, o chefe da Divisão de Monitoramento Ambiental da Fepam, Márcio D’Avila Vargas, explica que a nova ferramenta, diposnível no site https://gis.fepam.rs.gov.br/RSAgua, vai permitir acesso a dados e informações sobre os recursos hídricos no estado, possibilitando consultas às coletas trimestrais efetuadas em 187 estações com base na resolução Conama 357/05, que dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes para o seu enquadramento. Por ano, são 13 mil resultados de análise. "Isso permite fazer a gestão dos recursos hídricos", garante.

Veja Também

A partir das informações disponibilizadas no site, o pesquisador poderá procurar por mapas, indicação de pontos de coletas, municípios, bacias hidrográficas, entre outros, e gerar uma planilha de dados com período desejado. A ferramenta também possibilita identificar qual parâmetro das águas, numa escala que vai de qualidade excelente à qualidade ruim. "Essa ferramenta desenvolvida pela Fepam oferece acesso público e gratuito para qualquer pessoa. É especialmente útil para Comitês de Bacias e centros acadêmicos", assinala.

A presidente da Fepam, Marjorie Kauffmann, destaca que o Qualiágua prevê repasse de R$ 3 milhões aos estados para execução e análise da qualidade da água. De acordo com Marjorie, em parceria com outras entidades do estado, a Fepam está avançando para ampliar gama de amostras. A chefe da Divisão de Planejamento e Gestão do Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), Raíza Schuster, alerta que o monitoramento das águas é essencial e serve de base para estudos dos planos de recursos hídricos.

 

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895