Fraport reafirma que Poder Público é responsável por reassentar famílias da vila Nazaré
capa

Fraport reafirma que Poder Público é responsável por reassentar famílias da vila Nazaré

Empresa relata trabalho com a prefeitura para realocações no entorno do Salgado Filho

Por
Felipe Samuel

Moradores protestam contra condições atuais de remoção

publicidade

Envolvida numa ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), que suspendeu novas remoções de famílias da vila Nazaré, na zona Norte, a Fraport, concessionária do Porto Alegre Airport - Aeroporto Internacional Salgado Filho, reafirma que a responsabilidade pelo reassentamento das 1,3 mil famílias é do Poder Público. A concessionária recebeu com surpresa a notificação do MPF, em junho, de que seria responsável por promover o reassentamento, inclusive com relação ao custo, estimado em R$ 140 milhões. A concessionária projeta gastar até R$ 30 milhões.
 
O diretor-executivo e financeiro da Fraport Brasil, Jocel Gadens, explica que a concessionária trabalha com a prefeitura para ajudar na realocação das 930 famílias que moram na área do terreno do aeroporto na vila Nazaré, mas rebate qualquer responsabilidade quanto aos reassentamentos. "Está claríssimo para a Fraport, assim como está para a Agência Nacional de Aviação Civil, que representa a União, como está para a prefeitura, assim como os demais entes envolvidos, de que a responsabilidade no contrato de concessão é do Poder Público", afirma.
 
Sobre os R$ 140 milhões apontados pelo estudo do MPF previstos para o reassentamento, Gadens destaca que a concessionária ajudou 'voluntariamente' na coordenação do cadastramento dos moradores e promoveu uma série de melhorias em infraestrutura no entorno do aeroporto. "No acordo de cooperação, nos comprometemos em disponibilizar até R$ 30 milhões para ajudar na conclusão desse processo. E isso inclui verbas que vão ajudar na conclusão dos dois programas habitacionais e na realocação das famílias", observa.
 
Gadens esclarece que há 45 dias houve início do processo para realocação de 128 famílias. A previsão é de que a remoção do grupo seja concluída até a próxima semana. Ele reforça que a Fraport se comprometeu a cooperar com a prefeitura para realocar os moradores da vila Nazaré. A colaboração inclui auxílio de R$ 2 mil a cada família. O valor, que é destinado apenas aos moradores que hoje estão dentro da área do sítio aeroportuário, vai servir para colaborar nas despesas para mudança. "Esse auxílio é justamente para ajudar as famílias nesse momento que estão mudando de casa, que provavelmente precisam comprar algum mobiliário", destaca.
 
O executivo afirma que foram investidos R$ 170 milhões em obras de drenagem no entorno da pista. Segundo Gadens, as melhorias vão atingir bairros vizinhos, incluindo a vila Nazaré. “Hoje as famílias vivem em uma situação calamitosa, de falta de infraestrutura, de condições de saneamento, segurança e estão indo para uma condição de vida realmente digna. Uma área nova, planejada, construída com toda infraestrutura de saneamento básico, de acesso às redes de educação, saúde, transporte público e segurança”. 
 
“É um salto em termos de qualidade de vida para essas famílias”, frisa. Uma liminar movida pelo Ministério Público em 15 de julho, no entanto, adiou a segunda etapa das transferências para depois da audiência marcada para o dia 8 de agosto.