Freeway vai ter mais 33 câmeras de monitoramento até fevereiro de 2022

Freeway vai ter mais 33 câmeras de monitoramento até fevereiro de 2022

No sábado, uma mulher morreu após um paralelepípedo ser arremessado sobre o carro na rodovia

Gabriel Guedes

Mulher morreu no sábado em área que não havia câmeras de segurança

publicidade

Até o mês de fevereiro de 2022, a CCR ViaSul irá concluir a instalação de mais 33 câmeras de videomonitoramento, que irão reforçar a segurança dos usuários da Freeway (BR 290). Atualmente, apenas nove equipamentos foram instalados, no começo do ano, e já estão operando, entre os quilômetros 0 e 25, trecho que compreende os municípios de Osório e Santo Antônio da Patrulha.

Até o próximo ano, a empresa pretende instalar, ao todo, 1.136 câmeras nos trechos sob sua concessão, o que também inclui a Rodovia do Parque (BR 448), BR 386, de Canoas a Carazinho, e BR 101, de Osório a Torres, todas administradas pela companhia, além de estruturas como passarelas.

Na noite do último sábado, um paralelepípedo foi arremessado em cima do carro onde estava Munike Fernandes Krischke, 45 anos, que acabou morrendo.  Ela era passageira de um veículo que passava no trecho da Freeway que ainda não conta com o monitoramento.

"Hoje em dia, as imagens auxiliam todos os tipos de investigação. Neste caso mesmo da pedra, se tivesse um videomonitoramento naquela localidade onde ocorreu o crime, a investigação ocorreria mais rápido”, lembra a diretora do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, delegada Vanessa Pitrez, que lamenta não ter imagens do local que auxiliariam na elucidação deste crime. 

A rodovia perdeu o monitoramento após a mudança na concessão. Com a saída da Triunfo Concepa, em julho de 2018, os equipamentos foram desativados e até agora não foram reimplantados na sua totalidade.
O sistema de monitoramento que está sendo instalado pela CCR ViaSul está previsto no contrato de concessão, assinado em 2019.

Conforme a empresa, a preferência inicial da instalação das câmeras no trecho da Freeway, entre Osório e Santo Antônio da Patrulha, se deu devido ao fluxo de veículos mais intenso naquele ponto, principalmente em períodos de feriados e finais de semana.

As câmeras seguirão sendo instaladas em intervalos aproximados de dois quilômetros, dependendo da viabilidade no trecho. Os equipamentos conseguem se movimentar horizontalmente no eixo de 360 graus, não contam com visão noturna por meio de infravermelho, mas terão a companhia de um sistema de Detecção Automática de Incidentes (DAI), que irá disparar um alerta em caso de qualquer anormalidade na pista.

A vigilância será feita por uma equipe no Centro de Controle Operacional (CCO) da concessionária, integralmente, 24 horas por dia, todos os dias da semana. Mas de acordo com a CCR ViaSul, as imagens também serão compartilhadas com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Entretanto, segundo o chefe de Comunicação da PRF no RS, Felipe Barth, as nove câmeras já em operação na Freeway ainda não estão acessíveis para a instituição. “Não temos acesso. Mas vamos ter. Estamos em conversação para isso. Mas caso a gente necessite, a CCR tem nos enviado”, detalha.

Barth vê como positivo a instalação dos equipamentos, mas pondera que eles devem atender de forma plena a finalidade da segurança dos usuários - motoristas e passageiros. “Qualquer medida para aprimorar a segurança dos usuários nas rodovias são bem vindas, mas elas devem ser implementadas sempre de forma técnica. Com relação ao videomonitoramento, desde que esta seja feita de forma muito criteriosa, como o posicionamento, tipo de câmeras e o monitoramento que estará sendo realizado, para que seja útil para a segurança”, conclui.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895