Gol faz primeiro voo comercial do Boeing 737 Max em 20 meses

Gol faz primeiro voo comercial do Boeing 737 Max em 20 meses

Suspensão dos voos do MAX 737 após o segundo acidente mergulhou a gigante americana da aviação em uma profunda crise, agravada com a pandemia do coronavírus

AFP

Voo partiu de São Paulo em destino a Porto Alegre

publicidade

Um Boeing 737 Max decolou nesta quarta-feira de São Paulo rumo a Porto Alegre (sul), no primeiro voo comercial desse modelo após 20 meses de paralisação mundial devido a dois graves acidentes.

O voo 4104 da companhia aérea Gol partiu às 08h40 (horário de Brasília), com mais de 20 minutos de atraso, do aeroporto de Guarulhos, o maior da América do Sul, com o tempo ensolarado. O avião, com sete tripulantes a bordo e 88% de seus 186 assentos ocupados, pousou às 10h00 após um voo de uma hora e meia, informou a equipe da AFP a bordo.

A viagem foi concluída com o céu majoritariamente limpo e com passageiros e tripulantes usando máscaras devido à pandemia do coronavírus. "Foi um bom voo, tranquilo", disse uma passageira, Naiara Providello, pouco antes de desembarcar. Outro passageiro que viajava com sua namorada, ao saber do histórico do modelo no qual viajaria, deu uma risada e exclamou: "Bom saber", garantindo que não tinha medo: "Se o avião está aqui é porque é seguro, não?". Dois membros da tripulação, que pediram anonimato, disseram pouco antes de embarcar que estavam "muito emocionados" de fazer parte desta missão e expressaram a certeza de que tudo ficaria bem.

Veja Também

A Gol, maior companhia de voos domésticos no Brasil, afirmou na véspera que se algum passageiro se sentisse ansioso ao saber que viajaria neste modelo de avião, poderia reagendar sua viagem sem custo. A Boeing afirmou que seus aviões 737 Max foram submetidos a várias alterações, principalmente em seu software de controle de voo MCAS, que não pôde ser dominado durante os voos dos acidentes da Lion Air, em outubro de 2018, e da Ethiopian Airlines, em março de 2019, com um saldo total de 346 mortos.

A suspensão dos voos do MAX 737 após o segundo acidente mergulhou a gigante americana da aviação em uma profunda crise, agravada pelos desafios da indústria aeronáutica diante da pandemia de coronavírus. Desde janeiro de 2019, a empresa registrou 653 anulações de pedidos de compra do MAX 737.

Até agora, apenas as agências reguladoras dos Estados Unidos (FAA) e do Brasil (ANAC) autorizaram a retomada das operações do avião. Nos Estados Unidos, a American Airlines programou seu primeiro voo comercial com o 737 MAX para 29 de dezembro.

Gol, a única companhia aérea brasileira que possui esse modelo, prevê que seus sete exemplares do 737 MAX (de uma frota total de 127 aviões) voltem a voar antes do fim do ano. Como uma demonstração de confiança nas reformas do avião, a Gol planeja expandir em grande quantidade sua frota do 737 MAX. A companhia "tem 95 pedidos (de compra) firmes com a Boeing", além de 20 aviões que estão nos Estados Unidos esperando a entrega, disse na terça-feira à AFP um porta-voz da Gol.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895