Governo do RS fecha praias e proíbe restrição de acesso aos municípios
capa

Governo do RS fecha praias e proíbe restrição de acesso aos municípios

Eduardo Leite anunciou criação de 216 leitos de terapia intensiva no Rio Grande do Sul

Por
Correio do Povo

Medidas foram anunciadas pelo governador Eduardo Leite por vídeo nesta sexta-feira


publicidade

O governador Eduardo Leite anunciou, nesta sexta-feira, a proibição da restrição de acesso aos municípios. Conforme Leite, a medida, que já estava sendo adotada em algumas prefeituras pelo Rio Grande do Sul ao longo de toda a sexta-feira, são consideradas proibidas pela Constituição Federal. O pronunciamento do governador ocorreu à noite, por meio das redes sociais. 

Além disso, o governo do Estado anunciou o fechamento de todas as praias do litoral do Rio Grande do Sul, tanto as litorâneas quanto as localizadas nas águas internas. O objetivo é frear a disseminação do coronavírus no Rio Grande do Sul, que já apresenta casos de transmissão sustentada. Assim, o governo pretende evitar aglomerações no litoral. “Quarentena não é férias”, enfatizou o governador. No momento em que falava, o RS contabilizava 49 casos de Covid-19.

Mais leitos de UTI

O governo anunciou também a criação de 216 leitos de terapia intensiva no Rio Grande do Sul. O aumento representa um acréscimo de 22% nas unidades de CTI do Estado pelo Sistema Único de Saúde. Entre eles, 10 já foram entregues e estão prontos nesta sexta-feira. Além do aumento na rede hospitalar para casos críticos, o governador também anunciou que serão adquiridos 78 novos respiradores.

Nesta semana, o Piratini apresentou um prognóstico do avanço do novo coronavírus, antevendo que cerca de 5% dos infectados necessitarão de leitos em UTIs. Com o incremento, o Estado passará a contar com cerca de 1,2 mil leitos de UTI, segundo o governador. 

Outras medidas

Além disso, o governo anunciou a manutenção do funcionamento do Laboratório Central do Estado durante o fim de semana. Também foi anunciada a contratação de 37 novos profissionais de saúde, que deve ter a publicação no Diário Oficial do Estado em breve.

O governo também convocou os profissionais da defesa agropecuária, com o objetivo de garantir a manutenção da produção alimentícia e evitar o desabastecimento no Rio Grande do Sul. Leite frisou, ainda, a importância da manutenção dos serviços essenciais, que seguem em atividade: serviços de saúde, produção de medicamentos, segurança pública, distribuição de energia, telecomunicações, imprensa e serviços funerários.