Governo do RS interdita praias para evitar aglomerações no feriado de Navegantes

Governo do RS interdita praias para evitar aglomerações no feriado de Navegantes

Novo decreto estadual vale a partir das 18h do dia 1º de fevereiro até as 8h do dia 2 de fevereiro

Correio do Povo

Praias do litoral gaúcho serão interditadas entre segunda e terça-feira

publicidade

O governo do Rio Grande do Sul publicou, nesse sábado, um decreto que interdita todas as praias do litoral e das águas internas do Estado para evitar aglomerações por conta do Feriado de Navegantes, que ocorre na próxima terça-feira. A medida será válida a partir das 18h do dia 1º de fevereiro até as 8h do dia 2 de fevereiro. 

Entre as novas medidas do decreto estão a proibição de aglomerações com mais de 10 pessoas em todas as celebrações religiosas para qualquer bandeira. As decisões foram discutidas entre o governador Eduardo Leite e líderes de diferentes credos nessa sexta-feira. 

Segundo o governo estadual, missas e serviços religiosos seguem permitidos desde que obedeçam ao limite de 50% de público na bandeira amarela, 30% na bandeira laranja e 20% ou máximo 30 pessoas na vermelha. Em todos níveis, a ocupação de assentos deve ser intercalada, respeitando distanciamento mínimo de um metro entre pessoas e/ou grupos de coabitantes, e o uso de máscaras é obrigatório.

Veja Também

Neste domingo, o governo estadual recebeu dois pedidos de reconsideração de bandeiras do mapa preliminar da 39ª rodada do Distanciamento Controlado. 

Na última sexta-feira, o mapa preliminar classificou 11 regiões em bandeira vermelha, que significa com risco alto para esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de contaminação do coronavírus. São elas: Porto Alegre, Cachoeira do Sul, Capão da Canoa, Erechim, Lajeado, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santo   Ângelo e Uruguaiana. 

Já em bandeira laranja estão as regiões de Bagé, Caxias do Sul, Pelotas, Canoas, Cruz Alta, Guaíba, Ijuí, Novo Hamburgo, Santa Rosa e Taquara. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895