Governo do RS reitera necessidade de medidas mais restritivas contra a Covid-19 em três cidades

Governo do RS reitera necessidade de medidas mais restritivas contra a Covid-19 em três cidades

Regiões de Santa Rosa, Ijuí e Passo Fundo apresentaram crescimento do contágio da doença nas últimas semanas

Correio do Povo

Governo do RS reitera necessidade de medidas mais restritivas contra a Covid-19 em três cidades

publicidade

O governo do Rio Grande do Sul, através do GT Saúde, reforçou nesta sexta-feira a necessidade de medidas mais restritivas para conter a disseminação da Covid-19 nas regiões de Ijuí, Santa Rosa e Passo Fundo. Prefeitos e integrantes dos comitês técnicos dos municípios foram convocados para uma reunião em que foram definidos novos alinhamentos dentro do Sistema 3As de Monitoramento. 

O pedido do governo gaúcho foi justificado a partir da análise dados do GT Saúde pelo grupo de Protocolos. A conclusão da gestão é de que as medidas adotadas nessas cidades não são suficientes para brecar o contágio da doença. Por conta disso, a Secretaria Estadual de Saúde optou por fazer encontros específicos, com a presença do Ministério Público, para tratar do assunto. 

Veja Também

Conforme o relatório do GT Saúde, Santa Rosa tem a segunda maior incidência de casos confirmados entre as 21 regiões Covid na última semana, e 63,5% superior à média estadual. O número de óbitos cresceu 23,1% com relação à semana anterior, e a taxa de mortalidade é a 9a maior do Estado. A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 98,2%, e a região tem observado a necessidade de enviar pacientes para outras regiões.

Já em Ijuí, houve um aumento de 14,1% de casos confirmados. A área tem a 6ª maior incidência de casos por habitantes de todas as regiões monitoradas. Os óbitos também aumentaram, da última semana para cá, em 4,3%, e a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 95,9%.

Passo Fundo 

O município de Passo Fundo seguiu a mesma trajetória das outras duas cidades, com o número de óbitos crescendo 10,3%. A região tem a terceira mais alta taxa de mortalidade entre as regiões Covid. A incidência de novos casos por 100 mil habitantes cresceu 8,5% com relação à semana anterior, e a região tem a maior incidência de novos casos entre as 21 regiões Covid. Essa incidência é, também, 84% superior à média estadual. Além disso, a taxa de ocupação de leitos de UTI já passou de 100%, indicando esgotamento da capacidade hospitalar.

Pedido por engajamento e preocupação 

Durante a reunião, a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, falou em engajamento dos prefeitos nas medidas que são propostas para evitar o crescimento da Covid-19. "Temos de evitar que mais pessoas venham a óbito e que o número de casos siga aumentando. Precisamos melhorar os planos, incrementar as medidas, e precisamos valorizar a técnica, a ciência, o parecer dos grupos técnicos regionais. Temos de incutir na população o sentimento de que os planos são coletivos, que devem ser respeitados em todas as cidades da região, e de que precisamos da participação de todos, com engajamento de todos os prefeitos. Estamos confiantes de que a gestão parceria e compartilhada, e as ações objetivas e operacionais darão resultado”, afirmou. 

O secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Luiz Carlos Busato, também esteve presente nas reuniões e demonstrou preocupação com a condição dos municípios. "Essas reuniões não estão ocorrendo gratuitamente. Os dados das regiões estão nos preocupando, e as ações precisam ser ainda mais efetivas. Os técnicos do governo do Estado estão à disposição das regiões para a construção de alternativas de enfrentamento da pandemia”, destacou. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895