"Grito dos Excluídos" terá programação virtual em decorrência da pandemia

"Grito dos Excluídos" terá programação virtual em decorrência da pandemia

26ª edição será transmitida pelo Facebook nesta segunda-feora, das 10h ao meio dia

Felipe Samuel

26ª edição será transmitida pelo Facebook nesta segunda-feora, das 10h ao meio dia

publicidade

Tradicional movimento de rua, o Grito do Excluídos acontecerá este ano em ambiente virtual por conta da pandemia do novo coronvírus. Com o tema “Vida em primeiro lugar”, a 26ª edição contará com programação virtual das 10h ao meio-dia, no dia 7 de setembro, pela página da Rede Soberania na rede social facebook. Este ano, a organização do evento - que reúne 30 entidades entre as quais pastorais e organismos da CNBB, movimentos sociais e entidades da sociedade civil - escolheu o lema “Basta de miséria, preconceito e repressão! Queremos trabalho, terra e participação!”. O objetivo é abordar a exclusão social e chamar atenção para o desemprego no país.

Uma das coordenadoras do fórum e integrante da Cáritas Brasileira-RS, Roseli Pereira Dias explicou que o encontro virtual visa evitar aglomerações nas ruas em momento "tão delicado e grave da realidade brasileira". Além de reforçar que a "exclusão social é uma questão estrutural" e que atinge a maioria da população brasileira, Roseli afirmou que o fórum vai propor uma reflexão sobre o sentimento de pátria.

"A nossa ideia é fazer um chamado para dizer o que que é a pátria, de quem é pátria. Todos nós brasileiros estamos sendo abraçados pela pátria? Não. Temos exclusão social, retrocesso nos direitos sociais, nos direitos trabalhistas e grande parcela da população desempregada", assinalou.

Mais do que tratar do descaso com que a sociedade "olha" para as minorias, o evento vai contar com depoimentos de lideranças indígenas, agricultores familiares, entre outros, e apresentações musicais, além de entradas ao vivo com imagens de plantio simbólico de árvores em diversas cidades como parte da campanha lançada pelo MST em todo país.

Roseli destacou que o evento vai tratar ainda da violência social contra comunidades indígenas e quilombolas, além das causas sociais e políticas que levaram a mais de 100 mil mortes no país em função da Covid-19. O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular que ocorre em meio às celebrações da Independência do Brasil.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895