Grupo Record RS promove evento online "Insights", sobre a Covid-19 e os negócios

Grupo Record RS promove evento online "Insights", sobre a Covid-19 e os negócios

Análise de especialista é que marcas unidirecionais não devem se manter no mercado

Correio do Povo

publicidade

O Grupo Record RS promoveu, nesta segunda-feira, a primeira edição do evento online “Insights”. A iniciativa teve como tema “Aceleração metabólica nos negócios: os efeitos colaterais da Covid-19 fazem com que vivamos 'A Origem das Espécies', de Darwin, reinventada. Clientes mudam, agências mudam. Veículos mudam. Ou não”'. O palestrante convidado foi o CEO da agência de propaganda e21, Luciano Vignoli. A mediação foi do diretor Comercial da Record TV RS, Carlos Toillier, e teve a participação de Carlos Alves, presidente do Grupo que abrange, ainda, o jornal Correio do Povo e a Rádio Guaíba.

Segundo ele, o mercado funcionou bem por mais de cem anos, mas a sociedade mudou. “Foi uma era sem grandes crises, onde reinava o cinema, jornal, revistas e rádio, um modelo unidirecional, em que o poder estava com o emissor, numa lógica de monólogo”, contextualizou Vignoli. Entrou em cena um novo tipo de consumidor, o “always on”. “Eles acessam informações de qualquer lugar, em qualquer gadget, 24 horas por dia. O cliente passa a interferir no processo. Agora, a comunicação é multidirecional”, explica. Por meio de slides, o diretor da e21 explicou que o formato atual não tem linha divisória entre emissor e receptor, o que ele denomina de “O império do conteúdo multidirecional”. “Neste universo, as marcas são intrusas. Se quisermos protagonismo nas redes, temos que pedir licença e apresentar as credenciais aos consumidores. A casa não é nossa”.

Vignoli ressalta que as marcas unidirecionais não deverão se manter no mercado. “O que vem agora? As empresas precisarão produzir muito conteúdo. Cada produto novo, cada técnica, cada movimento é conteúdo. Nunca foi tão fácil colocar este conteúdo para a rua com a revolução digital. Este ambiente permite fazer quase tudo”. As plataformas tecnológicas devem ser mais exploradas pelas marcas, fugindo dos modelos tradicionais, considerados arcaicos, segundo o publicitário. “O desafio de tempos disruptivos não é somente produzir propaganda de qualidade. Temos que produzir conteúdo relevante e em escala, que os consumidores busquem, acessem, procurem, considerem valioso, que melhorem sua vida, que faça as coisas ficarem mais fáceis ou que os entretenham, simplesmente”, salienta.

O palestrante, elencou uma tríade de fatores - storytelling, design e conteúdo - que pode guiar as marcas que querem seguir relevantes em tempos de internet. Vignoli citou exemplos de empresas com quem trabalhou e veículos de comunicação que seguem o caminho dos conteúdos multidirecionais. “As empresas podem copiar todo o seu conteúdo, mas jamais a sua história, cada marca tem a sua”, lembrou

Para o presidente do Grupo Record RS, o momento é desafiador. “Vem como uma forma de transformação, sem ser oportunismo ou ser omisso. Em período de crise, descobrimos coisas que nem imaginávamos como elaborar e acabamos descobrindo meios e formas extraordinárias. Sairemos diferentes desta crise em relação ao que entramos”, disse Carlos Alves. Toillier destacou a importância do localismo. “O mundo mudou, está em todos os lugares, podemos acessá-lo na palma da mão, mas o olhar para o local ainda é uma bandeira muito grande”, reiterou.

O “Insights” foi transmitido no canal no YouTube do jornal Correio do Povo e é possível acessá-lo pelo link...


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895