Grupos de índigenas firmam acordo e encerram conflito no Noroeste do RS
capa

Grupos de índigenas firmam acordo e encerram conflito no Noroeste do RS

MP, PF e Funais mediaram encontro entre lideranças para definir acerto

Por
Felipe Dorneles

publicidade

Um acordo mediado pelo Ministério Público Federal, Polícia Federal e Funai, colocou fim ao conflito entre dois grupos indígenas da Reserva do Guarita, no Noroeste do Rio Grande do Sul. Após cinco horas de reunião, em Santo Ângelo, lideranças indígenas entraram em um acordo e retornaram à Reserva, localizada nos municípios de Tenente Portela, Erval Seco e Redentora.

O procurador da República Guilherme Augusto Velmovitsky van Hombeeck, do Ministério Público Federal (MPF) de Palmeira das Missões, explica que na Reserva há 16 setores. “O cacique nomeia um capitão para cada um dos locais. Na negociação, o cacique propôs à oposição o direito de nomear capitães em quatro setores, além de nomear responsáveis pelas áreas da saúde e educação em cada um dos locais’, explica. O acordo prevê ainda a divisão de sacas de soja recebidas pelo arrendamento de terras.

A iminência de conflito foi deflagrada pois o grupo que perdeu a eleições realizadas no ano passado não estava satisfeito com a atual liderança indígena. O procurador lembra que estes conflitos são frequentes e cíclicos.