Guaíba e afluentes apresentam elevação um dia após atingir marca mais baixa em meses

Guaíba e afluentes apresentam elevação um dia após atingir marca mais baixa em meses

Expectativa é de que o retorno da chuva ajude a amenizar o déficit hídrico que vem se aprofundando desde final de setembro

Gabriel Guedes

Segundo a meteorologista da MetSul Meteorologia, Estael Sias, Porto Alegre teve 12,4 milímetros de precipitação em 24 horas, entre a quarta e quinta-feira

publicidade

O Guaíba estava 17 centímetros mais alto nesta quinta-feira que na quarta, quando atingiu a menor marca desde março, segundo dados da Sala de Situação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). Nesta quinta-feira, a estação hidrometeorológica situada no Cais Mauá, no Centro da Capital, apontava o nível em 0,40 metro. No dia anterior, era de 0,23 metro.

Pelo menos três dos cinco principais afluentes do Guaíba também acusaram elevação no nível de água. Um alento, que coincide com o retorno da chuva, que vai permanecer ainda durante a próxima semana, e pode amenizar o déficit hídrico que vem se aprofundando desde final de setembro.

Nesta quinta, os rios Gravataí, Sinos e Caí já apresentaram reação à chuva e tiveram seus níveis elevados. Situação melhor observada em São Leopoldo, onde o Rio dos Sinos passou de 0,43 metro para 0,70, subindo 27 centímetros em um intervalo de poucas horas. A tendência, segundo o engenheiro hidráulico da Sala de Situação, Lucas Giacomelli, é que o nível do Guaíba reaja à predominância de ventos de sul e oeste, bem como à chuva na metade norte do estado. 

Segundo a meteorologista da MetSul Meteorologia, Estael Sias, Porto Alegre teve 12,4 milímetros de precipitação em 24 horas, entre a quarta e quinta-feira. Campo Bom, no Vale do Sinos, acumulou 10,6 mm. A especialista afirma que a condição segue favorável à chuva.

“Segue sim a previsão de vários dias de instabilidade com períodos de melhorias e sol e pancadas de chuva que podem, ao fim, gerar bons acumulados”, prevê Estael. Passo Fundo e Santa Maria tiveram acumulados em torno de 30 milímetros nesta volta da chuva.

No prognóstico da MetSul, há modelos meteorológicos que chegam a apontar chuvas acumuladas de 150 milímetros ou até mais, isoladamente, podendo superar os 200 milímetros até meados da próxima semana, o que terá impacto direto na elevação da quantidade de água nos mananciais gaúchos. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895