Hospitais gaúchos recebem medicamentos para a intubação comprados no Uruguai

Hospitais gaúchos recebem medicamentos para a intubação comprados no Uruguai

Produtos são usados pacientes que necessitam de internação em UTIs devido a Covid-19

Correio do Povo

Medicamentos transportados com auxílio do Exército foram distribuídos para 38 hospitais gaúchos

publicidade

A carga de medicamentos que o Ministério da Saúde adquiriu de laboratórios uruguaios chegou a Nova Santa Rita no final da noite de sexta-feira. Os produtos compõem o "Kit intubação", conjunto de medicamentos utilizados para sedação, analgesia e bloqueio neuromuscular em cirurgias e também na intubação de pacientes com casos graves da Covid-19 nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI),

O carregamento foi realizado em caminhões do Comando Militar do Sul, sob forte escolta. Cerca de 25 mil unidades foram distribuídas durante o final de semana em 38 hospitais do Rio Grande do Sul. O restante da carga seguiu na manhã de sábado para Santa Catarina.

Na região Metropolitana, os medicamentos foram distribuídos para o Complexo Hospitalar Santa Casa, Associação Hospitalar Vila Nova, Hospital São Lucas e Hospital de Clínicas, todos da Capital. Os hospitais Nossa Senhora das Graças e Universitário, ambos de Canoas, a Fundação de Saúde Pública São Camilo, em Esteio, e a Fundação Hospitalar, em Sapucaia do Sul, também receberam os kits.

A aquisição dos medicamentos foi comemorada pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), e Federação das Santas Casas Santa Casa e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Rio Grande do Sul.

O presidente da Famurs e prefeito de Taquari, Maneco Hassen, ressaltou a importância da aquisição. “No dia 27 de junho, a Famurs e a Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Filantrópicos e Religiosos do Rio Grande do Sul lançaram uma nota em conjunto alertando para a falta dos anestésicos que compõe o kit intubação, e afirmando que a demanda pelos medicamentos utilizados nas UTIs destinadas aos pacientes do Covid-19, em três meses, já equivalia à totalidade daquilo utilizado em todo o ano de 2019. Isso foi muito importante, pois criou um sistema de alerta e mobilização em todo o Estado”, ressaltou.

A aquisição dos medicamentos pelo Ministério da Saúde foi facilitada pela relação binacional criada durante a assinatura do Acordo Sanitário entre o Brasil e o Uruguai – intermediado pela Secretaria Estadual da Saúde e pelo governo do Estado. “Mesmo que a compra de medicamentos seja de responsabilidade dos hospitais, durante a pandemia do coronavírus, essa compra internacional de emergência foi muito necessária”, afirmou a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann.

Os medicamentos foram recebidos no Porto Seco de Jaguarão, na fronteira com o Uruguai. A carga adquirida contém 20,8 mil unidades de Propofol 10mg (20ml), 17.787 unidades de Propofol 1% ( 20ml), mil unidades de Propofol 1% (50ml) e 4 mil unidades de Priaxim.

Além da compra dos medicamentos no Uruguai, o Estado aguarda o envio de um carregamento disponibilizado pelo próprio Ministério da Saúde, ainda sem previsão de entrega. Também foi criada uma parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) e com o Conselho de Secretarias Municipais da Saúde (Cosems) para doação de itens liberados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que podem ser usados tanto em animais quanto em humanos.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895