Hospital Moinhos de Vento reinstala tenda para atender pacientes com síndrome respiratória

Hospital Moinhos de Vento reinstala tenda para atender pacientes com síndrome respiratória

O início do atendimento ao público - adultos e crianças - será nesta terça-feira, às 14h

Felipe Samuel

O início do atendimento ao público - adultos e crianças - será nesta terça-feira, às 14h

publicidade

A superlotação de emergências pediátricas e adultas em Porto Alegre obrigou o Hospital Moinhos de Vento a reinstalar uma tenda para o atendimento de pacientes com síndromes respiratórias. Por conta do aumento da demanda nos últimos meses, a direção do hospital optou pela colocação da estrutura no estacionamento da instituição, com entrada pela rua Ramiro Barcelos. O início do atendimento ao público - adultos e crianças - será nesta terça-feira, às 14h. O horário de funcionamento é das 8h às 20h.

Com a perspectiva da chegada do inverno e meses que tradicionalmente apresentam demanda maior por atendimento desses pacientes, a tenda vai ajudar a desafogar a demanda na emergência e diferenciar o fluxo de atendimento, conferindo maior segurança aos usuários. De acordo com a gerente Médica do Hospital Moinhos de Vento, Juçara Maccari, os pacientes que não apresentarem sintomas de síndrome respiratória serão atendidos em outro local.

“Houve um aumento muito grande de pacientes sendo atendidos em todas as emergências na cidade. Desses pacientes que são atendidos, cerca de metade estão procurando atendimento por síndrome respiratória. Nem todos têm Covid-19, mas cerca de um terço dos pacientes tem suspeita ou confirmação de Covid-19. Os outros são atendimentos por outras síndromes respiratórias e outras infecções”, explica. Ela afirma que a ampliação da área de atendimento vai ajudar a diminuir o tempo de espera por atendimento.

Conforme Juçara, a emergência adulta atende, em média, 200 pacientes por dia. “A gente observou nos últimos dois meses um aumento de cerca de 40% do número de atendimento em relação a um basal de emergência adulto. E a emergência pediátrica também atende quase 150 pacientes por dia, com um aumento também importante do número de atendimentos que tinha como basal nos últimos meses então. É uma demanda que eu acredito que vai se manter a mesma”, compara.

A médica intensivista avalia que algumas medidas poderiam ser adotadas pela população para impedir a disseminação dos vírus. “O uso de máscara poderia evitar ou reduzir o número de contaminação. Acho que a gente deve reforçar que ainda existe uma recomendação de uso de máscara em locais fechados, em ambientes em que têm muitas pessoas ou pessoas que têm algum tipo de imunossupressão que fazem tratamento oncológico", observa.

O Hospital Mãe de Deus informa que mantém uma área destinada a atendimentos de pacientes com sintomas gripais, chamada de Espaço Azul e que foi criada durante a pandemia de Covid-19. Outras instituições, como o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), o Hospital Nossa Senhora da Conceição e a Santa Casa não pretendem, no momento, instalar estruturas semelhantes.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895