IBGE vai contratar mais de 12 mil pessoas para o Censo no Rio Grande do Sul

IBGE vai contratar mais de 12 mil pessoas para o Censo no Rio Grande do Sul

Serão 11.198 vagas para recenseador, 1.018 para agente censitário supervisor e 366 para agente censitário municipal

Gabriel Guedes

No Rio Grande do Sul, são 11.198 vagas para recenseador, 1.018 para ACS e 366 para ACM

publicidade

O IBGE publicou nesta quinta-feira dois editais para contratar temporariamente 204.307 pessoas para trabalhar na organização e na coleta do Censo Demográfico 2021 em todo o país. São oferecidas 181.898 vagas para recenseador, 16.959 para agente censitário supervisor (ACS) e 5.450 para agente censitário municipal (ACM) em 5.297 municípios do país. No Rio Grande do Sul, são 11.198 vagas para recenseador, 1.018 para ACS e 366 para ACM, com possibilidade de trabalho em todos os 497 municípios do estado, dependendo do cargo escolhido.

Para estes dois últimos, as inscrições abrem hoje e seguem até 15 de março. Para as vagas de recenseador, as inscrições para concorrer a uma das vagas iniciam no dia 23, próxima terça-feira, e encerra em 19 de março.

Para concorrer a função de recenseador, o candidato deve ter nível fundamental completo, e para ACM e ACS, ensino médio concluído. No ato da inscrição, o candidato poderá escolher a área de trabalho e em qual cidade realizará a prova. A taxa de inscrição custa R$ 39,49 para ACM e ACS, e R$ 25,77 para recenseador e poderá ser paga pela internet ou em qualquer banco ou casa lotérica. As provas serão realizadas em todos os municípios onde houver vagas. Elas serão aplicadas no dia 18 de abril para ACM e ACS, e no dia 25 de abril para recenseadores. Essa diferença de datas permite ao candidato participar dos dois processos seletivos, segundo o coordenador operacional do Censo Demográfico 2021 no RS, Luis Eduardo Azevedo Puchalski.

Para a seleção de nível médio, os mais bem colocados em cada município ocuparão a vaga de ACM, que será o responsável pela coordenação da coleta do Censo 2021 naquela cidade. Já o ACS supervisiona as equipes de recenseadores. As remunerações dessas duas funções são de R$ 2.100 para ACM e R$ 1.700 para ACS, com jornada de 40 horas semanais. Além do salário, terão direito a auxílio-alimentação, auxílio-transporte, auxílio pré-escola, férias e 13º salário proporcionais, de acordo com a legislação em vigor e o estabelecido no edital.

Entretanto, os recenseadores, que são os profissionais que visitarão todos os domicílios do país, entrevistando seus moradores, serão remunerados por produtividade, de acordo com a quantidade de residências visitadas e pessoas recenseadas, considerando ainda a taxa de remuneração de cada setor censitário, o tipo de questionário preenchido (básico ou amostra) e o registro no controle da coleta de dados.

“Setores de maior dificuldade de acesso, terão taxa de remuneração mais alta. O recenseador não tem horário fixo de trabalho, mas espera-se dedicação mínima de 25 horas semanais, inclusive finais de semana e feriados. Em cada setor tem cerca de 300 domicílios, mas um recenseador poderá ter mais de um setor de coleta, caso consiga concluir um em tempo”, explica Puchalski. No site do IBGE, mais próximo da realização do censo, haverá um simulador no site, para que o recenseador calcule sua remuneração. 

Em municípios maiores e em áreas remotas, as vagas são oferecidas por áreas de trabalho específicas. Porto Alegre, Caxias do Sul, Farroupilha, Pelotas, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, Capão do Leão, Rolante, São Francisco de Paula, São Jerônimo, São José do Norte, Taquara e Viamão são os municípios gaúchos que terão locais de trabalho específicos.

Essas áreas podem abranger bairros, favelas, localidades de difícil acesso, aldeias indígenas ou comunidades quilombolas, por exemplo. Por isso, o ideal é que os recenseadores aprovados no processo seletivo sejam moradores das próprias localidades onde vão trabalhar, para economia de custos com deslocamentos e maior produtividade nas visitas domiciliares. 

As vagas são temporárias e os contratos terão duração prevista de três meses para a função de recenseador e de cinco meses para ACM e ACS, podendo ser renovados de acordo com as necessidades do IBGE e a disponibilidade orçamentária. O Censo inicia no dia 1º de agosto, mas os preparativos dos profissionais começam antes. Os selecionados receberão treinamento e ajuda de custo para isso.

“Teremos medidas de segurança sanitária em todas as etapas. Esta etapa é extremamente importante para a realização do Censo neste ano”, reforça o coordenador gaúcho.

Informações sobre os editais e os locais de inscrição, podem ser obtidos no site do Instituto.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895