Imunização contra a Covid-19 segue nos hospitais, indígenas e quilombolas em Porto Alegre

Imunização contra a Covid-19 segue nos hospitais, indígenas e quilombolas em Porto Alegre

Profissionais da saúde da linha de frente no combate ao coronavírus e com mais de 65 anos que atendem o público estão sendo priorizados

Cláudio Isaías

Profissionais da saúde da linha de frente do Grupo Hospitalar Conceição seguem sendo vacinados

publicidade

Os hospitais de Porto Alegre seguem com a vacinação dos trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19. Na manhã esta terça-feira, no Grupo Hospitalar Conceição (GHC) teve prosseguimento a imunização dos funcionários da emergência do Hospital Conceição, internação Covid do Hospital Conceição, Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Covid do Hospital Conceição, áreas Covid do Hospital Criança Conceição e UPA Moacyr Scliar.

As vacinas Coronavac, produzidas pela chinesa Sinovac e distribuída pelo Instituto Butantan, foram aplicadas no 4º andar do Hospital Conceição. No Criança Conceição, estão recebendo a vacina os servidores que atende as áreas Covid. Já no Cristo Redentor, estão recebendo as doses os profissionais de saúde da emergência, da UTI e os maiores de 65 anos que realizam assistência direta aos pacientes.

No Hospital Conceição, referência para atendimento de pacientes com coronavírus, a prioridade foi vacinar, nesta primeira fase, os funcionários que atuam nessas áreas, sendo elas a emergência, a UTI e a internação Covid. Até o momento, já foram vacinados 1.103 profissionais no Hospital Conceição.

Na próxima etapa, quando novas doses chegarem, também serão imunizados os trabalhadores com mais de 65 anos que prestam assistência direta ao paciente. Na UPA Moacyr Scliar, unidade que vem recebendo pacientes com Covid, foram imunizados 251 funcionários.

No Hospital Fêmina, o início da imunização deve ocorrer no período da tarde. As doses disponibilizadas estão sendo adquiridas pelo Ministério da Saúde, dentro do Plano Nacional de Imunizações (PNI). Os critérios para priorização da imunização seguem o PNI e as orientações da Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre.

O diretor-presidente do GHC, Cláudio Oliveira, ressalta que a pandemia ainda não acabou, e que, por isso, é importante que os protocolos de segurança estabelecidos continuem a ser seguidos, assim como as medidas preconizadas, como o uso da máscara, a lavagem das mãos, o uso de álcool gel e evitar as aglomerações.

O Hospital São Lucas da Pucrs continua a realizar a vacinação contra o coronavírus. No Centro de Pesquisa da instituição de saúde, os funcionários são chamados para o processo de vacinação gradativamente, com o objetivo de evitar aglomerações. Uma parte da vacina foi destinada ao grupo prioritário da primeira fase da imunização: profissionais da linha de frente contra a Covid-19, que atuam na internação, na UTI e emergência.

Pelo menos 1,5 mil pessoas das comunidades indígenas e quilombolas que vivem em Porto Alegre receberão a primeira dose da vacina Coronavac contra o coronavírus, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A imunização será realizada até sexta-feira, dia 29.

Serão mil vacinas aplicadas nos quilombolas e 500 nos indígenas. Porto Alegre possui dez aldeias e sete comunidades indígenas pertencentes às etnias Kaingang, Mbya Guarani e Charrua. No caso dos quilombolas, são sete comunidades.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895