Inicia nova rodada de testes da Covid-19 em nove cidades do Rio Grande do Sul
capa

Inicia nova rodada de testes da Covid-19 em nove cidades do Rio Grande do Sul

Porto Alegre e outras cidades do interior terão 500 domicílios escolhidos de modo aleatório para a testagem

Por
Correio do Povo

Serão testadas 4,5 mil pessoas em Porto Alegre, Pelotas, Canoas, Santa Maria, Uruguaiana, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Passo Fundo e Caxias do Sul


publicidade

Após um hiato de um mês, a quinta etapa de testes rápidos e entrevistas que busca estimar o número de pessoas que já contraíram o novo coronavírus está sendo realizada neste sábado, domingo e segunda-feira no Rio Grande do Sul. O estudo, encomendado pelo Governo do Estado, é conduzido pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) com o objetivo de mapear os casos da doença e acompanhar a velocidade de disseminação do contágio entre os gaúchos.

Estão sendo testadas 4,5 mil pessoas em Porto Alegre, Pelotas, Canoas, Santa Maria, Uruguaiana, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Passo Fundo e Caxias do Sul, com 500 domicílios escolhidos de modo aleatório em cada uma das cidades. Na Capital, as visitas nas casas e apartamentos ocorrem na manhã e tarde por cerca de 20 equipes que percorrem 50 setores, divididos conforme o IBGE, em todas as regiões da cidade.

A pesquisa segue na segunda-feira para eventuais domicílios remanescentes. Em geral, as equipes são formadas por voluntários estudantes da área da saúde de diversos cursos de instituições universitárias, sobretudo alunos da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Em algumas situações, agentes comunitários de saúde prestam apoio nas visitas. Os resultados dos testes saem em média em 15 minutos no próprio local.

Integrante da comissão organizadora na Capital, a professora Helena Schirmer, coordenadora do Curso de Biomedicina da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), esclareceu na manhã deste sábado que o aumento do espaçamento entre uma rodada e outra foi adotado devido ao tipo de teste realizado.

“Ele detecta o anticorpo. Ele vai acabar sendo positivo uns 15 dias depois que a pessoa teve o contato”, explicou.

Com o crescimento dos casos diagnosticados da Covid-19 na cidade, a docente adiantou que a hipótese é de que se tenha um aumento de testagem positiva. Segundo Helena Schirmer, o fato de que as pessoas pesquisadas terem resultado positivo no teste rápido para Covid-19 não significa, porém, que elas apresentaram sintomas nas últimas semanas já que o teste detecta anticorpo e não a presença do vírus.


“A maioria dos que testam positivo relatam sintomas leves e não procuraram atendimento”, observou. Se a testagem der positivo no participante do estudo, a professora da UFCSPA disse que “todos os outros moradores são testados”. A Vigilância Sanitária é acionada para realizar os devidos encaminhamentos.