Internações em UTIs de Porto Alegre se aproximam de maior taxa da pandemia

Internações em UTIs de Porto Alegre se aproximam de maior taxa da pandemia

Com nova alta, Capital registra 330 pacientes com Covid-19 em tratamento intensivo, 17 a menos do que no pior dia até hoje

Gabriel Guedes

Casos vem crescendo nos hospitais de Porto Alegre

publicidade

Em dois dias, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por pacientes doentes de Covid-19, em Porto Alegre, avançou 7,49% e chegou aos 330 pacientes neste domingo. Na sexta-feira, eram 307, e com a alta registrada no domingo, já são oito dias de elevação consecutiva. A marca observada nesta noite fica 17 leitos abaixo do pico registrado desde o começo da pandemia, de 347 leitos em 2 de setembro.

No total, Porto Alegre tem 816 leitos, que estão ocupados por 725 pacientes, o que corresponde a 90,06% de lotação, se considerarmos pacientes com outros problemas de saúde. Ainda assim, os infectados por Covid-19 já representam quase 45% desta ocupação. Apesar da ameaça de colapso da rede de saúde, as pessoas continuam ignorando as orientações de distanciamento e praças e parques da Capital seguiam com aglomerações neste domingo.

Conforme o monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Moinhos de Vento, Ernesto Dornelles e Hospital Independência operavam com capacidade máxima. Os hospitais Mãe de Deus e Cristo Redentor estavam perto da lotação total, com 96% e 97% de ocupação, respectivamente. Considerando os pacientes com suspeita de infecção por Covid-19, 372 ocupavam leitos de UTI.

No Rio Grande do Sul, de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, a taxa de ocupação chegou a 82,1%, com 2.146 pacientes internados em UTI, sendo 940 relacionadas à Covid-19.

Apesar dos números nada animadores, após a passagem da instabilidade por Porto Alegre, o tempo firmou no domingo, sem chuva. A temperatura, na casa dos 30 graus, acabou sendo um convite às pessoas irem para as ruas de Porto Alegre. Os parques Farroupilha e Moinhos de Vento e também a Orla Moacyr Scliar, não deixaram de receber seus frequentadores, alguns aglomerados.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895