Kiss: Schirmer nega responsabilidade da prefeitura e aponta "falhas graves" na investigação

Kiss: Schirmer nega responsabilidade da prefeitura e aponta "falhas graves" na investigação

Ex-prefeito disse que a cidade ficou traumatizada com o incêndio

Correio do Povo e R7

Schirmer depõe no oitavo dia de julgamento da Kiss

publicidade

O atual secretário de Planejamento e Assuntos Estratégicos de Porto Alegre e ex-prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer, afirmou que a gestão municipal da região central do Estado não teve responsabilidades sobre a tragédia na boate Kiss em 2013. "Não fiz nada, nada, nada, absolutamente nada, que pudesse comprometer a mim. Nehum servidor da prefeitura contribuiu para o que aconteceu naquela noite", destacou na sessão do oitavo dia de julgamento no Foro Central de Porto Alegre.  

De acordo com Schirmer, testemunha arrolada pela defesa do réu Elissandro Spohr, o inquérito feito pela Polícia Civil teve falhas graves. "Essa investigação foi feita de forma medíocre e espetaculosa”, destacou. Segundo o ex-prefeito, havia uma iniciativa das autoridades de tentar responsabilizá-lo sobre o incêndio na boate. "Desde o começo eu ouço insinuações de que eu deveria estar aqui como réu e não como testemunha”, disse. 

O ex-gestor de Santa Maria disse ter ficado sabendo da tragédia por volta de 3h45min. E contou os movimentos que fez assim que soube do incêndio. "Encontrei com a minha chefe de gabinete, vi que o incêndio tinha dimensões maiores. Liguei pra secretária de saúde, liguei para alguns secretários para que a prefeitura se ativasse para ver o que era  possível fazer já naquele momento", descreveu.

Schirmer contou sobre conversa que teve com a então presidente Dilma Roussef para anunciar a tragédia. Na época, a Chefe do Executivo estava em viagem ao Chile para compromissos políticos. 

Veja Também

O ex-prefeito disse que evitou dar entrevistas e debater o incêndio que deixou 242 vítimas e mais de 600 feridos com autoridades. “Era prefeito de uma cidade traumatizada, com tantas vítimas, pessoas sobreviventes que precisavam de amparo. Uma cidade emocionalmente abalada e eu estava no 27º dia do meu mandato", afirmou. 

Em protesto ao depoimento do ex-prefeito de Santa Maria, familiares das vítimas e sobreviventes da tragédia da Boate Kiss deixaram o plenário do júri nesta quarta. 

Schirmer disse ainda que tomou conhecimento depois da tragédia sobre inquéritos envolvendo reclamações de pessoas sobre os barulhos das festas da Kiss. O ex-prefeito prestou depoimento até 11h40min. Após o intervalo determinado pelo juiz, familiares das vítimas realizaram protesto em frente ao Foro Central de Porto Alegre. Os parentes carregavam nas mãos quadros com imagens de dentro da Kiss e mensagens especiais àqueles que perderam a vida na boate.

Devem ser ouvidos ainda hoje o promotor de justiça Ricardo Lozza (testemunha/Elissandro), o publicitário Fernando Bergoli (testemunha/Mauro) e Geandro Kleber de Vargas Guedes (testemunha/Mauro).

*Com informações dos repórteres André Malinoski e Aristoteles Junior


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895