Legislativo gaúcho presta homenagem aos 50 anos do Centro de Valorização da Vida de Porto Alegre

Legislativo gaúcho presta homenagem aos 50 anos do Centro de Valorização da Vida de Porto Alegre

Entidade oferece serviço gratuito de apoio emocional para população em geral

Cláudio Isaías

Homenagem foi realizada nesta segunda-feira

publicidade

Os 50 anos de fundação do Centro de Valorização da Vida (CVV) de Porto Alegre foram homenageados, nesta segunda-feira, pela Assembleia Legislativa. Proposta pela deputada estadual Franciane Bayer (PSB), a Medalha da 55ª Medalha Legislatura do parlamento gaúcho foi entregue a coordenadora do CVV em Porto Alegre, Dalva Stracke. A solenidade foi realizada no salão Júlio de Castilhos da Assembleia. 

No seu discurso, a deputada cumprimentou todos os voluntários do CVV e afirmou que estava muito honrada em poder prestar uma homenagem aos 50 anos de fundação da instituição em Porto Alegre. "O CVV é uma entidade sem fins lucrativos, que presta serviço de apoio emocional a todas as pessoas que querem e precisam conversar, de forma gratuita, por telefone, chat e e-mail. A instituição atua somente com voluntários treinados e capacitados. São mais de quatro  mil voluntários em todo país que realizaram cerca de três milhões de atendimentos em 2019", ressaltou.

Segundo Franciane Bayer, até 2014, existiam sete locais de atendimento no Rio Grande do Sul. "Mas, após o incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, o Ministério da Saúde escolheu a instituição, por sua longa experiência, para atuar em uma linha direta e gratuita, o 188, a fim de propiciar um canal por onde as pessoas pudessem falar de suas dores", destacou. Hoje o Estado, tem 16 locais que prestam apoio emocional com respeito, aceitação, confiança e sem interferir na vida de quem procura o serviço.  "É uma rede de atendimento que ainda precisa de visibilidade e reconhecimento da sociedade",  acrescentou a deputada estadual.

Conforme Franciane Bayer, o CVV também realiza rodas de conversa, palestras sobre valorização da vida e conta ainda com grupos de apoio aos sobreviventes do suicídio, entre outras ações. "Como presidente da Frente Parlamentar de Combate ao Suicídio, da Assembleia Legislativa, encontrei na entrega da Medalha uma forma de parabenizar e demonstrar o meu mais sincero agradecimento aos voluntários, pelo trabalho desenvolvido na instituição", explicou.

A parlamentar afirmou que o CVV é composto de pessoas que se doam para auxiliar seus semelhantes que estão passando por dificuldades emocionais, dores essas que muitas vezes são invisíveis até mesmo para seus familiares. A coordenadora do CVV em Porto Alegre, Dalva Stracke, disse que a instituição  se sentia muito honrada com a distinção porque é um grupo de pessoas que se reúne em torno de uma causa humanitária. "A medalha é um grande reconhecimento para o CVV Porto Alegre, que é o segundo posto mais antigo do Brasil. Manter uma atividade voluntária por 50 anos no Estado é um tremendo desafio", acrescentou. De acordo com Dalva Stracke, as pessoas da instituição doam sua atenção e tempo para ouvir o outro. 

O CVV completa 50 anos nesta terça-feira. A instituição foi fundada no dia 3 de agosto de 1971, e realiza apoio emocional e de prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária e gratuita todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo pelo telefone 188, 24 horas, todos os dias. O CVV Porto Alegre foi uma das primeiras sedes da entidade a serem inauguradas no Brasil. Atualmente são mais de 120 postos de atendimentos no país, com mais de quatro mil voluntários. 

A deputada Franciane Bayer destacou que a Frente Parlamentar de Combate ao Suicídio foi instalada no dia 10 de junho de 2019 com o objetivo de promover ações e, em parceria com instituições e rede de apoio, políticas públicas que foquem na prevenção, visando à valorização da vida. Desde o início, o CVV, tem sido um parceiro das atividades. A deputada aponta que falar de suicídio ainda é um tabu. "É preciso mostrar para as pessoas que elas não estão sozinhas e que apesar de crises e conflitos, vale a pena lutar pela vida. A Frente também tem focado na conscientização das pessoas para que fiquem atentas aos sinais e que a identificação de sintomas de ansiedade e depressão, por exemplo, pode salvar vidas", acrescentou.

Relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que uma pessoa comete suicídio a cada quatro segundos no mundo, o que corresponde a 800 mil mortes por ano. O suicídio já representa a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 24 anos. O Rio Grande do Sul é o estado brasileiro com o maior índice de suicídio. O registro oportuno e o monitoramento regular do suicídio em nível nacional são a base de estratégias nacionais eficazes de prevenção. No entanto, apenas 80 dos 183 estados-membros da OMS para os quais foram produzidas estimativas em 2016 possuíam dados vitais de registro de boa qualidade. A maioria dos países sem esses dados era de baixa e média renda. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895