Mercado Público de Porto Alegre completa 151 anos de sabor, cheiro, cor, cultura e história

Mercado Público de Porto Alegre completa 151 anos de sabor, cheiro, cor, cultura e história

Presidente da Ascomepc, Adriana Kauer, diz que ele tem a alma da cidade

Correio do Povo

Aniversário teve bolo cenográfico, distribuição de doces embalados e arrecadação de leite para distribuição a entidades assistenciais

publicidade

Os 151 anos do Mercado Público de Porto Alegre foram comemorados na manhã deste sábado com um bolo cenográfico, distribuição de doces embalados e arrecadação de leite para distribuição a entidades assistenciais da cidade. A guloseima simbólica de três andares foi criada pelas confeiteiras Laís Berlatto e Karla Oliveira. “A homenagem foi atípica e apenas cantamos os parabéns no meio. Cada mercadeiro foi na frente de sua loja e cantou dali, ecoando pelos corredores. Foi muito bonito”, destacou a presidente da Associação do Comércio do Mercado Público Central (Ascomepc), Adriana Kauer, referindo-se aos cuidados devido à pandemia. 

Ela lembrou que são 99 permissionários e 1,2 mil empregos diretos gerados, além de outros 2,8 mil indiretos. “Estamos operando com 50% da capacidade e temos esperança de que ele reabra pois trabalhamos somente com dois portões de acesso abertos e lojas com balcão na porta”, observou. “O comércio inteiro da cidade já reabriu e ainda estamos sofrendo com a situação. A palavra que nos move é esperança de dias melhores. Queremos paz para poder trabalhar”, acrescentou.

Adriana Kauer destacou a importância cultural, histórica e turística do Mercado Público de Porto Alegre. “Ele representa a cultura de uma cidade, de um estado...Temos uma importância também social e de balizador de preços”, assinalou. “O Mercado Público é uma mistura muito grande de sabor, cheiro, cor e barulho. Ele tem alma, religiosidade e cultura. Ele é a soma de histórias e tem um coração”, ressaltou. “Ele é especial e único”, complementou.

Ela alertou para os riscos de introduzir uma gestão de shoopping no Mercado Público de Porto Alegre conforme previsto pelo edital de concessão para a iniciativa privada proposto pela prefeitura. "O edital tem problemas não só no que está escrito nele, mas por aquilo que não está escrito nele”, avaliou, manifestando ainda o temor de uma descaracterização do local. “Não queremos transformar uma operação de shopping dentro dele por que vai impactar até no preço final”, alertou. “O Mercado Público atende rico, pobre, velho, novo, preto, branco...Se elitizarmos vamos perder aquela população que para nós é tão importante”, advertiu.

A presidente da Ascomepc enfatizou também que o Mercado Público de Porto Alegre é “um microcosmo e um reflexo da cidade” ao longo dos 151 anos de existência. Para Adriana Kauer, ele “é a cara de Porto Alegre, a representação mais fiel do que é Porto Alegre”.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895