Militares gaúchos embarcam para Roraima em missão de combate à Covid-19

Militares gaúchos embarcam para Roraima em missão de combate à Covid-19

Força-tarefa em áreas indígenas conta com profissionais da saúde e vai durar uma semana

Cláudio Isaías

Militares ficarão em Roraima até o dia 26 atuando no combate à Covid-19 em áreas indígenas

publicidade

Sete militares gaúchos que fazem parte do Comando Militar do Sul (CMS) embarcaram nesta segunda-feira em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para Roraima. A missão da equipe formada por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem é atuar no combate à Covid-19 em áreas indígenas. 

O embarque dos integrantes do Exército ocorreu às 11h30min, na ala 3 da Base Aérea, em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Antes do embarque, os militares realizaram um teste rápido sorológico da Covid-19, como forma de precaução.

Segundo os ministérios da Defesa e da Saúde, as equipes vão prestar apoio nas terras indígenas de Auaris, Surucucu e Boa Vista, em Roraima. Os técnicos da área da saúde levam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), medicamentos e testes da Covid-19. Eles ficarão até o dia 26 outubro de 2020 no Estado do Norte do país. A estimativa do Exército brasileiro é que sejam atendidos 11.617 índios.

A missão terá equipes da área da saúde formada por médicos, veterinários, enfermeiros e técnicos de enfermagem. No total serão 26 militares que participarão da Operação Roraima. Os militares enviados para Roraima integram a área da saúde do CMS.

Fazem parte da missão a 1ª tenente Patrícia Torres Alves, médica infectologista do Hospital de Guarnição de Bagé, duas clínicas médicas, a 1º tenente Ana Paula Gomes, e a 2ª tenente Patrícia Miorelli, ambas do Hospital Militar de Área de Porto Alegre (HMAPA), e ainda na área de clínica médica o 1º tenente Jeferson Lopes dos Santos, do 7º Regimento de Cavalaria Mecanizado (7º RCMec), de Santana do Livramento.

A equipe é composta ainda pela 1ª tenente e enfermeira Daniela La Faiet de Camargo, HMAPA, e pelos técnicos de enfermagem Aline Wisniewski, terceiro sargento, do 2º Regimento de Cavalaria Mecanizado, de São Borja, e pelo 1º sargento Rogério Martins Perazzolo, do Hospital de Guarnição de Alegrete.

De acordo com o Ministério da Defesa, já foram realizadas 133 ações em comunidades indígenas na Amazônia Ocidental, no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à pandemia. Segundo o Ministério da Defesa, a Operação Covid-19, já transportou, por meio da Força Aérea Brasileira, cerca de 350 toneladas de materiais de saúde. Quando somados os transportes terrestres, a quantidade de materiais chega a 16 mil toneladas.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895