Ministério Público Federal envia carta ao Trensurb, reforçando ações contra o coronavírus
capa

Ministério Público Federal envia carta ao Trensurb, reforçando ações contra o coronavírus

Documento assinado por dois procuradores também expressa outras recomendações a órgãos públicos

Por
Gabriel Guedes

Trensurb circulou lotado no começo desta semana, contrariando boas práticas de prevenção ao coronavírus

publicidade

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria da República no Rio Grande do Sul, encaminhou nesta quinta-feira, ao Trensurb, e outros órgãos, uma carta reforçando as recomendações de prevenção ao Covid-19. No documento, os procuradores solicitam a adoção de medidas para reduzir o fluxo de pessoas e de servidores e terceirizados ao mínimo indispensável à atuação de enfrentamento à ao coronavírus, ou outras atividades consideradas essenciais. Por duas vezes nesta semana, na segunda e terça-feira, as composições circularam lotadas nos horários de pico em decorrência do maior intervalo de tempo entre os trens. Os intervalos foram de aproximadamente 25 minutos - quando o normal é de até 4 minutos -, o que resultou em plataformas cheias de passageiros, principalmente em Canoas e Sapucaia do Sul.

A carta, de oito páginas, é assinada pelo procurador regional dos Direitos do Cidadão/RS, Enrico Rodrigues de Freitas, e pela procuradora Suzete Bragagnolo. Eles embasam as recomendações em uma série de fatos, informações e declarações que atestam a gravidade da pandemia. Também há recomendações para que o deslocamento de servidores públicos e terceirizados, ocorra em horários de menor movimentação de pessoas, para evitar a exposição a aglomerações, em hipótese de utilização de transporte coletivo de passageiros.

A Trensurb foi procurada pelo Correio do Povo na noite desta quinta-feira, mas não atendeu à solicitação até o momento da publicação.