Mobilização de moradores exige atuação de pediatra no Hospital de Portão
capa

Mobilização de moradores exige atuação de pediatra no Hospital de Portão

Cobrança iniciou após morte de um bebê que teria sido atendido por um clínico geral na Instituição de saúde

Por
Stephany Sander

Cobrança iniciou após morte de um bebê que teria sido atendido por um clínico geral na Instituição de saúde

publicidade

Os moradores da cidade de Portão estão organizando um ato de protesto em frente ao Hospital Municipal da cidade. A ação busca que um médico pediatra volte a fazer plantão na casa de saúde e também ocorrerá por conta da morte de uma bebê. Esta, teria ocorrido devido à falta do profissional. A família de Sofia Fraga, de 2 meses, acredita que a ausência de um pediatra  pode ter causado a morte da menina, que chegou na casa de saúde por volta das 21h da última segunda-feira, e depois de esperar pelo atendimento médico, mesmo apresentando suor e febre alta, faleceu. Um clínico geral foi quem atendeu a bebê.

Segundo a direção da instituição, nunca houve pediatra no Hospital de Portão. O assunto foi tema de reunião, na tarde desta terça-feira, entre um grupo de vereadores e o prefeito da cidade, José Renato das Chagas. “A princípio, será colocado um segundo plantonista no hospital, mas não um pediatra”, afirmou Alexsandro Argenta, o Leco, que participou do encontro. Ainda conforme ele, a Câmara de Vereadores se dispôs, ainda em maio deste ano, a custear 50% de um plantão pediátrico no hospital.

De acordo com a prefeitura, o atendimento pediátrico será ampliado pela Secretaria da Saúde a partir da inauguração do Centro de Especialidades Médicas, no bairro Portão Novo, prevista para ocorrer em novembro. Ainda assim, o plantão será apenas de segunda a sexta-feira, até às 22h