Motorista que atropelou mulheres na zona Sul é procurado em Porto Alegre
capa

Motorista que atropelou mulheres na zona Sul é procurado em Porto Alegre

Acidente matou Brenda Gabriele Vargas Carrales, 19 anos

Por
Correio do Povo

Mãe e filha haviam saído de uma escola porque a adolescente tinha ganho uma bolsa de estudos

publicidade

A Delegacia de Crimes de Trânsito de Porto Alegre está mobilizada para identificar o veículo responsável pelo atropelamento de mãe e filha na noite dessa segunda-feira no cruzamento da avenida Prof. Oscar Pereira com a rua Coronel Aparício Borges, no bairro Glória. No acidente de trânsito, Cátia Silene Vargas Moreira, 42 anos, ficou ferida com as duas pernas quebradas, mas a filha, Brenda Gabriele Vargas Carrales, 19 anos, morreu no local. O motorista do carro, um hatch, fugiu e está sendo agora procurado pela equipe do delegado Carlo Butarelli. “Não se pode falar ainda em indiciamento e enquadramento. É muito cedo. Temos primeiro de chegar até o condutor”, adiantou. No entanto, ele antecipou que o condutor fugiu e isso “já configura omissão de socorro”. 

Segundo o delegado Carlo Butarelli, a situação em que estavam mãe e filha no momento do atropelamento, a indicação do sinal do semáforo no instante do acidente, presença de faixa de pedestre no local, estão sendo analisadas, entre outras diligências. “Tudo será analisado no inquérito: o comportamento do motorista e das vítimas”, resumiu. Uma câmera de monitoramento registrou o atropelamento, mas não é possível visualizar as placas. Os agentes da Delegacia de Crimes de Trânsito estão buscando outras imagens das câmeras de monitoramento existentes em toda a região. Os laudos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) também são aguardados. 

Mãe e filha haviam saído de uma escola pois a jovem havia acabado de ganhar uma bolsa de estudo. Depois da matrícula, elas retornavam para casa quando foram atingidas na pista pelo veículo. A estudante foi arremessada vários metros. Acionada, uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levou a mãe ao Hospital de Pronto Socorro, onde ficou internada. Qualquer informação, mesmo sob anonimato, pode ser repassada aos telefones de denúncias 181 e 197.